Pertencente a uma das famílias mais tradicionais de São Paulo, Andreas von Richthofen é hoje um dos principais assuntos do país.

Ele que, em 2002, aos 15 anos, perdeu o pai e mãe vítimas de um cruel assassinato planejado pela irmã mais velha, #Suzane Von Richthofen, que os desejava mortos para que então pudesse viver uma 'linda história de amor' com Daniel Cravinhos, um dos assassinos dos pais, voltou a ser notícia 15 anos após o fatídico episódio.

Visto como um homem inteligente e bem-sucedido, Andreas foi flagrado pela Polícia Militar, na manhã desta última terça-feira, 30 de maio, tentando pular o muro de uma casa na zona leste de São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Abordado, ele aparentou estar desequilibrado e fora de si. O estado como ele foi encontrado é considerado deplorável e em nada condiz com o status, graduação e situação financeira que ele sustenta. Confira o antes e depois de #Andreas von Richthofen.

Antes

Aos 15 anos, Andreas ficou órfão e foi criado pelo seu tio e tutor, Miguel Abbdallah. Herdeiro de uma fortuna que gira em torno de R$ 10 milhões, ele sempre estudou nas melhores escolas de São Paulo e se destacou nos tempos de colegial.

Tido como um garoto sensível, educado, prestativo e esforçado, Andreas se formou com honras no Instituto de Química da Universidade de São Paulo e até os dias atuais é lembrado e bem visto por seus professores. Atualmente aos 29 anos, von Richthofen é formado em Farmácia e Bioquímica e ostenta o título de Doutor em Química.

Publicidade

Considerado um dos alunos mais brilhantes e confiáveis que já lecionaram na USP, Andreas era visto como um exemplo de superação, integridade e força de vontade pelos colegas de turma e professores que conviveram com ele na época da especialização.

Atualmente, von Richthofen atuava como farmacêutico em um grande laboratório e, embora considerado discreto, realizava sua função de forma excepcional.

Depois

Neste último dia 30 de maio, Andreas von Richthofen foi encontrado em estado precário, com diversas escoriações pelo corpo, cabelo comprido, sujo, maltrapilho e com um aspecto atordoado.

Fora de si, o milionário, que antes de ser flagrado pelos policiais militares pulando um muro já havia sido visto na região denominada 'Cracolândia', se declarou dependente de substâncias fortes, bem como usuário de maconha.

Ao dar entrada no hospital público na manhã desta terça-feira, Andreas, que parecia não saber o que estava acontecendo, só foi identificado após mostrar à junta médica o brasão dourado de sua família.

Identificado, ele foi encaminhado à ala psiquiátrica do hospital e só deixou o local, após seu tio e ex-tutor, Miguel Abbdallah, o transferir para uma clínica psiquiátrica com ênfase em dependentes químicos.