Mais de 900 policiais civis e militares participaram de ação realizada neste domingo (21) na região da #Cracolândia, localizada no Centro de São Paulo. Segundo o jornal Folha de S.Paulo, mais de 50 acusados de tráfico foram presos. Alguns deles são suspeitos de ligação com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

A operação tinha como objetivo identificar pontos de venda de drogas e prender traficantes, além de apreender entorpecentes. A #Polícia Militar utilizou bombas de efeito moral para dispersar os usuários. Durante a confusão, várias pessoas invadiram e saquearam lojas da região.

Os policiais também entraram em hotéis, pensões e estabelecimentos comerciais com mandados de busca e apreensão.

Publicidade
Publicidade

Após a ação, a região foi ocupada por guardas municipais, que permanecerão no local por tempo indeterminado.

Doria anuncia substituição de programa

O prefeito de São Paulo, João Doria, esteve no local e disse que "a Cracolândia acabou, não vai voltar mais". Ele também anunciou o fim do programa "Braços Abertos", criado pelo prefeito anterior, Fernando Haddad. O objetivo do programa, lançado em 2014, era reinserir o dependente de drogas na sociedade e estimular a diminuição do consumo.

Para isso, a Prefeitura oferecia aos usuários moradia em hotéis e três refeições diárias, além de apoio para tratamentos, profissionalização e emprego. A intenção de Dória é substituir o "Braços Abertos" pelo programa "Redenção". Segundo ele, o novo projeto manterá características do anterior, mas estará integrado ao programa "Recomeço", promovido pelo governo estadual.

Publicidade

A ideia é que as moradias passem a ser longe da Cracolândia e os empregos sejam oferecidos pela iniciativa privada. Os usuários também devem ter acesso a tratamento e, se necessário, internação.

O prefeito disse que toda a área da Cracolândia deve ser reurbanizada. Isso inclui a interdição e demolição de todas as pensões e hotéis presentes no local, que será reestruturado com "prioridade para habitação popular". Entretanto, ainda não há estimativa de custos do projeto.

Usuários ocuparam outros locais

Ainda segundo a Folha de S.Paulo, após serem afastados do “fluxo” (local de concentração dos usuários drogas), centenas de dependentes se espalharam pelos arredores. A compra e o consumo de drogas ocorria a céu aberto nas calçadas de várias ruas próximas ao local. Policiais observavam o movimento, mas não houve abordagens. #Doria