Um dos acusados da Operação #Lava Jato, o empresário #Eike Batista teve sua fiança para permanecer em prisão domiciliar estipulada pela Justiça em R$ 52 milhões. A decisão foi proferida nesta terça-feira, dia 2, pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

O empresário teve sua prisão domiciliar concedida na última sexta-feira, dia 28, após decisão do ministro do Superior Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. Para manter o benefício e não retornar à cadeia, Eike deve depositar o valor determinado pelo juiz Bretas em até cinco dias úteis. As informações foram veiculadas pela Agência Brasil.

Segundo investigação judicial, Eike possuí atualmente R$ 158 mil em sua conta, o que pode ser um sinal de ocultação de bens.

Publicidade
Publicidade

O empresário já foi considerado o homem mais rico do Brasil e esteve entre os dez homens mais ricos do mundo. Como determinação para sua prisão domiciliar, a Justiça apresentou medidas cautelares que incluem entrega de passaporte, impedimento de que Eike volte a atuar profissionalmente e autorização para que a Polícia Federal realize vistoria da casa sem aviso prévio.

Eike batista foi preso em janeiro deste ano, acusado pela Justiça de ter pago propina ao ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que também foi detido pela Operação Lava Jato. Segundo denúncia da Polícia Federal e do Ministério Público Federal, Eike teria repassado mais de R$ 16 milhões ao ex-governador em 2010. #Corrupção