Uma das mais sensuais repórteres da Rede TV é acusada de integrar o #PCC. #Luana Don, que apresentava matérias ousadas no 'TV Fama' da Rede TV, nos anos de 2012 a 2015, chegou a entrevistar as maiores celebridades do país. Mas sua trajetória parece ter tomado outro rumo, ao menos é o que diz o jornal Extra. Segundo o veículo, Luana de Almeida Domingos, a loira das fotos abaixo, preferiu trocar o microfone pela vida criminosa e seria uma das integrantes procuradas pela polícia, por integrar a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). A gata que tem 32 anos é considerada foragida da Justiça.

Ex-repórter está foragida

Luana Don também é advogada e é considerada foragida desde que teve um mandado de prisão expedido contra ela, pelo TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

Publicidade
Publicidade

Para a Justiça do Estado, como relatado no jornal Extra, Luana Don integraria um grupo de advogadas (sendo uma possível líder) que foi denominado 'Sintonia das Gravatas'. A acusação que recai sobre ela e sobre o grupo de advogados criminosos é que eles se usariam da prerrogativa de trafegar, indo e vindo em presídios e tendo acesso a criminosos do mais alto escalão e passando recados do mundo externo e levando ordens dos chefes aos soldados do tráfico. Ela era usada como interlocutora entre integrantes do Primeiro Comando da Capital presos com aqueles que ainda estavam soltos.

Ligação com Marcola

Líder máximo do PCC (Primeiro Comando da Capital), Marco Willians Herbas Camacho, 48, vulgo Marcola, estava sendo monitorado para saber se ele ainda enviava ordens de dentro da cadeia aos outros integrantes da facção.

Publicidade

Por meio de anotações e mensagens cifradas, a polícia identificou 54 pessoas que seriam responsáveis de enviar mensagens aos líderes na cadeia. Das 54 pessoas com prisão requerida, apenas cinco estão foragidas, dentre elas a gata loira ex-Rede TV.

Foi descoberto também que os advogados do crime faturavam alto. Era cerca de R$ 6 mi por ano só com advogados. No mesmo inquérito, descobriu-se que o PCC tinha uma incrível organização, com mais de 1000 gerentes e toda uma estrutura digna de uma grande companhia privada.

Dique Denúncias

A polícia pede ajuda das pessoas para, no caso de informações de quaisquer dos foragidos, incluindo de Luana Don, que entrem em contato com o Disque Denúncia. O serviço é totalmente sigiloso e você não precisa se identificar.

O escritório que defendia a advogada, disse que abandonou o caso e não tem notícias de Luana.

Veja uma foto de Luana na época da Rede TV (foto divulgação):

#repórter da Rede TV