Imagine só você ficar bilionário de uma hora para outra, sem ter jogado na Mega-Sena e ou sem ter participado de nenhum esquema do Petrolão?

Isso realmente aconteceu com algumas pessoas, mas por uma falha bancária.

O que faria com tanto #Dinheiro? Já pensou? Pois alguns dos minutos que qualquer um de nós levaria para decidir o que fazer com tanta grana já foram suficientes para o que era doce se acabar.

Claro que o banco percebeu o erro e consertou. A falha, que envolveu cifras astronômicas, aconteceu no sistema do banco Santander, elevando o valor do saldo de algumas aplicações, que ganharam uma grande quantidade de dígitos a mais.

Publicidade
Publicidade

Como em um passe de mágica, o sistema passou a multiplicar o valor dos ativos reais por milhões, acrescentando vários algarismos “zero”.

Os valores inflados artificialmente e equivocadamente afetaram investimentos de renda fixa de alguns clientes, que talvez nem tenham percebido a mudança, ocorrida na última quinta-feira (4).

O problema foi identificado e o banco retornou os saldos para os valores corretos alguns minutos depois. Apenas alguns correntistas conseguiram tirar um print (recortar a imagem) das telas de seus extratos “bilionários” como o que mora na cidade de Vitória, capital do Espírito Santo. Esse correntista teve o saldo aumentado para R$ 135 bilhões em sua aplicação. Para se ter uma ideia, o montante tinha 12 dígitos, sem contar os centavos.

Supondo que esse valor fosse mesmo uma realidade, esse indivíduo automaticamente se tornaria o homem mais rico do Brasil.

Publicidade

Mais até do que Jorge Paulo Lemann, dono da gigante AB Inbev, classificado como o mais endinheirado do país.

Essa fortuna criada por erro faria com que o capixaba passasse a ter inclusive um patrimônio 45% maior do que o de Lemann.

O capixaba que detectou e tirou um print de seu salto astronômico, tem um perfil de risco considerado como conservador e suas aplicações estão fracionadas apenas em produtos de renda fixa. Quando acordou, ele se surpreendeu vendo que os CDBs de sua carteira de investimentos estavam em R$ 1,4 milhão, enquanto que o outro investimento, chamado Yield PRM DI, somava inacreditáveis R$ 135,5 bi.

Por meio de nota oficial, o Banco Santander admitiu que os saldos de alguns clientes foram afetados por uma falha no sistema que elevou as quantias ao incluir mais dígitos nos saldos de aplicações. No entanto a instituição não informou quantos pequenos investidores foram atingidos.

No comunicado o banco ressaltou que o erro foi identificado e corrigido apenas alguns minutos depois. Os casos foram considerados “pontuais”, porém regularizados rapidamente.