William Bonner já não consegue esconder o fato de estar farto e até cansado dos múltiplos escândalos relacionados com a política brasileira que tem assombrado o Brasil nos últimos anos. Tal como garante o portal da Revista Exame, a prova disso mesmo é que, na edição do “Jornal Nacional”, da quinta-feira (18), que durou mais de uma hora e meia, o ex-marido de Fátima Bernardes acabou fazendo um desabafo forte, que demonstrou bem o que ele pensa destes escândalos envolvendo #Michel Temer e também Aécio Neves: “A gente passou quase cinco minutos sem falar de corrupção, mas já estamos de volta”, disse.

Poucas horas depois do jornal “O Globo” ter denunciado a existência de pelo menos duas gravações de áudios envolvendo Michel Temer e Aécio Neves, alegadamente, em esquemas de subornos e corrupção com a empresa JBS, William Bonner abriu o “Jornal Nacional” cometendo um erro muito grave ao vivo, se referindo a Temer como sendo o “ex-presidente”.

Publicidade
Publicidade

A verdade é que quando notou que havia cometido uma gafe grave, o experiente âncora da Globo, teve o cuidado de pedir desculpa.

Bonner mostrou mais uma vez que, em certos momentos, a objetividade que se exige a um jornalista por vezes é muito complicada de se manter e aguentar, principalmente, quando se trata de longos telejornais realizados ao vivo. Como garante o site da Revista Exame, foi precisamente isso que acabou por acontecer com William Bonner que, parece ter cada vez mais dificuldade em manter sua imparcialidade perante os consecutivos escândalos de corrupção que estão abalando e destruindo a credibilidade e reputação da política brasileira, um pouco por todo o mundo. O momento naturalmente não demorou a se tornar um viral.

Nas redes sociais, muitos internautas, sobretudo telespectadores que tiveram atentos ao longo telejornal de ontem, garantiram que, tal como parece estar acontecendo com William Bonner, eles também estão fartos do que está acontecendo, afirmando mesmo que não sabem em quem podem confiar paras as próximas eleições presidenciais.

Publicidade

Vale relembrar que, depois de Aécio Neves já ter sido afastado do seu cargo de senador, e até da posição de líder do seu partido, sendo principal aliado de Temer, o atual presidente da República, poderá ser alvo de mais um processo de “impeachment”, assim como aconteceu no ano passado com Dilma Rousseff, caso existam provas fortes o suficiente. Até o momento o que se pode afirmar é no áudio vazado, ele sabia e deu o aval para subornar Eduardo Cunha na prisão. #Jornalismo #Rede Globo