O programa Cidade Alerta, da Rede Record, apresentou, nesta segunda-feira (1º) um crime chocante que ocorreu no Brasil, dessa vez foi no distrito de Limeira, no município de Mantena (MG). De acordo com as informações recolhidas, um homem de 84 anos foi assassinado pelo próprio genro de 61 anos. O #Crime aconteceu no dia 20 de abril, e a vítima é um líder político e ex-vereador daquela região. O motivo do homicídio teria sido a recusa de Malvino Castelani em partilhar as terras com o seu genro José Dias.

Foi por volta das 16h30 do dia 20 que tudo aconteceu. Segundo o capitão da Polícia Militar Lidomar Batista, a vítima, Malvino Castelani, foi atingido a tiro dentro da sua propriedade.

Publicidade
Publicidade

O autor do crime foi José Dias, que vive longe dali, em uma cidade da Grande São Paulo.

Segundo a investigação a que o programa Cidade Alerta teve acesso, José Dias e a esposa moravam em Taboão da Serra, mas decidiram mudar-se para perto de Malvino, quando o genro exigiu um pedaço da sua propriedade. No entanto, o ex-vereador se negou a ceder as terras e essa decisão acabou por gerar uma discussão violenta.

O principal suspeito do crime ficou revoltado depois da discussão e no dia seguinte foi até à fazenda armado com um revólver. Voltou a discutir com Malvino e foi aí que disparou contra o sogro e fugiu de seguida.

Depois de ter atingido o ex-vereador, o acusado ainda tentou simular um cenário de assalto. No entanto, Malvino, não morreu no local e ainda foi levado com vida para o hospital de Itabarinha, onde teria ainda conseguido conversar e revelar a familiares e amigos como tudo aconteceu.

Publicidade

Porém, algumas horas depois, ele não resistiu aos ferimentos e acabou por falecendo na unidade de saúde.

A morte de Malvino Castelani está causando muita tristeza e revolta em Mantena, onde ele foi vereador durante quatro mandatos. Ele era uma pessoa muito querida naquela região e deixou muitos familiares e amigos arrasados com tudo o que aconteceu.

José Dias, o acusado pelo crime, conhecido como “Zé Fial”, está foragido. Quinze dias depois do crime, a Polícia Militar ainda não conseguiu capturar o suspeito e pediu ajuda à população para fornecer pistas que ajudem na captura do suspeito.

Esse é mais um crime provocado por um motivo fútil. Dessa vez foi a recusa em partilhar uma propriedade que levou a vida de uma pessoa que trabalhou a vida toda para alcançar os seus objetivos.

O que você pensa sobre esse tipo de crime? Acha que há alguma forma de a parar? Escreva a sua opinião nos comentários! #Brasil #homicídio