O trabalhadores dos #Correios encerraram a #Greve nessa segunda-feira (8), após 11 dias de paralisação. Depois de muita negociação, cinco sindicatos da categoria aceitaram a proposta feita pelos Correios e decidiram pela volta ao trabalho. As informações foram confirmadas pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect).

A greve, que se iniciou no dia 27 teve fim em algumas regiões nesta segunda-feira. Desde o início do movimento, algumas regiões chegaram a contar com apenas 30% dos profissionais trabalhando, principalmente em São Paulo, Belo Horizonte e em Brasília.

Algumas regiões não aderiram à paralisação.

Publicidade
Publicidade

Não há registro e nem movimentação de greve em Roraima, Sergipe, Rio Grande do Sul e Amapá. Segundo informações dos Correios, mais de 89% dos colaboradores já estavam trabalhando normalmente desde sexta-feira passada (5).

Segundo Rogério Ubine, diretor nacional da Fentect, mais de 30 sindicatos que fazem parte da entidades não aceitaram a proposta feita pelos Correios e continuam em greve. O prejuízo devido as paralisações realizadas pelos trabalhadores chega a aproximadamente R$ 6,5 milhões, segundo os Correios. A empresa estatal justifica que o prejuízo acontece mesmo com a paralisação parcial.

Avanços conquistados pelos trabalhadores

A Fentect diz que uma das medidas conquistadas para a categoria foi a suspenção de uma determinação que impedia os empregados de tirar férias. A estatal alegava que não tinha recursos para realizar o pagamento dos benefícios.

Publicidade

Com isso, os colaboradores que tirariam férias em maio, junho e julho teriam que mudar a data.

As mudanças que aconteceriam no plano de saúde dos trabalhadores e a possível privatização da estatal seriam outros pontos que ainda estariam sendo acertados entre a Fentect e os Correios.

O que o TST diz sobre a greve?

O ministro Emmanoel Pereira, do TST (Tribunal Superior do Trabalho), apresentou uma proposta de acordo parcial como uma forma de incentivo para uma negociação entre as partes, onde a proposta pede que os trabalhadores acabem com a greve de imediato e que a empresa estatal revogue a suspenção das férias, algo que já está sendo negociado entre os Correios e a Fentect.

Confiando no bom senso dos trabalhadores e mostrando que estão abertos a negociação, os Correios aceitaram a proposta feita pelo TST e aguarda a resposta oficial dos sindicatos.