Todos os dias nos deparamos com o aumento da violência além deste fato, a fata de prioridade para a segurança pública do nosso país, nos colocar em risco de morte todos os dias, em casa, nas ruas, trabalho e por onde estivermos. Creio que a certeza da impunidade encoraja as pessoas a cometerem crimes bárbaros como este que aconteceu nesta terça-feira (2) em São Paulo. Saiba mais aqui.

De acordo com o portal de notícias online G1, um homem invadiu uma empresa de ônibus coletivos na Cidade Tiradentes, localizada na Zona Leste de São Paulo e executou a tiros duas pessoas que trabalhavam no local.

Execução

Segundo as informações repassadas pela polícia, o homem chegou ao local armado, invadiu o escritório matou um motorista e uma fiscal da empresa e saiu do local sem levar nada.

Publicidade
Publicidade

As duas vítimas foram identificadas como Geraldo Assis da Costa, de 38 anos, motorista da empresa e Luiza Leite de Moraes, de 45 anos, que atuava como fiscal.

O escritório da empresa fica na Vlademir Cardoso Gonçalves, próximo ao número 700. Na região existem muitos lotes vagos e terrenos baldios, uma área bastante afastada e rodeada por ocupações ilegais.

De acordo com a reportagem do SPTV, as vítimas foram surpreendidas enquanto trabalhavam, o suspeito teria chegado até o escritório da empresa em um carro vinho. Ele já desceu do automóvel atirando contra as vítimas que não tiveram a menor chance de se defenderem e não demonstraram nenhum tipo de reação.

Luiza Leite morreu imediatamente, já Geraldo chegou a ser socorrido mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital. A motivação do #Crime ainda é desconhecida e a polícia não descarta nenhuma linha de investigação.

Publicidade

As primeiras apurações feitas pelos investigadores levaram ao nome de um suspeito pelo crime, seria um homem conhecido como Giovani, morador da região onde a execução aconteceu. Testemunhas indicaram para a polícia o endereço do suspeito, investigadores estiveram no local e não o encontraram, porém na residência estava estacionado um carro que corresponde com o que foi visto no local do crime.

As investigações estão sob a responsabilidade do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Os policiais continuam tentando descobrir as causas do crime e o paradeiro do suspeito. Os investigadores estão nas ruas em buscas de novas informações que possa auxiliar no esclarecer os motivos de um crime tão bárbaro contra pessoas que estavam trabalhando. #Investigação Criminal #Casos de polícia