Na última quinta-feira (4), em Araruama, no Rio de Janeiro, a polícia prendeu um indivíduo identificado como Robson da Silva Ribeiro, suspeito de matar o próprio filho, Robson Júnior, de apenas13 anos.

Segundo a polícia, o meliante Robson da Silva Ribeiro teria assassinado seu filho adolescente após a mãe do garoto entrar com um pedido de pensão alimentícia na justiça.

O pai, sem nenhum pudor, matou o garoto e o enterrou em uma praia próxima. O menino desapareceu no dia 3 de março e, somente na semana passada, Ribeiro confessou o #Crime para a polícia.

Entenda o caso

A investigação foi realizada pela Delegacia de Polícia da região e objetivou averiguar as causas da morte do adolescente Robson Júnior, cujo corpo foi encontrado enterrado na areia em 10 de março deste ano.

Publicidade
Publicidade

A família se mobilizou para encontrá-lo, pois o garoto ficou sumido por 4 dias antes do corpo ser localizado, já em estado de putrefação, na praia.

A polícia colheu inúmeras provas que apontavam o pai como o assassino.

No primeiro depoimento, o assassino Robson (pai) havia contato uma versão estranha à polícia para tentar inventar um álibi de que ele tinha encontrado o filho ainda próximo à escola, convidando-o para ir à praia. Depois, que o filho teria morrido afogado no local e que teria enterrado seu corpo na areia porque estava com medo e não queria sofrer o peso da responsabilidade.

Em novo depoimento, no entanto, o pai confessou o cometimento do homicídio, já que os policiais acabaram encontrando provas contundentes de que ele havia matado o próprio filho.

De acordo com o advogado da família, Robson afirmou que o homicídio “aconteceu por acidente”.

Publicidade

Veja o vídeo da reportagem:

Provas

Câmeras de vigilância localizadas em residências e comércios mostraram à polícia qual o trajeto percorrido por Robson e seu filho, desde o momento em que o adolescente saiu do colégio.

O veículo de Robson 'pai' ainda foi flagrado transitando nas ruas próximas ao colégio.

Com o uso da tecnologia, os policiais conseguiram ter provas suficientes de que o pai esteve na praia e matou o filho.

No dia do sumiço do garoto, uma equipe de TV da região (Portal RC24h), entrou em contato com o pai do garoto por meio de um telefonema. Da forma com que o homem respondia as informações, aparentemente deu a entender que estava abatido e triste com o sumiço repentino de seu filho.

Na época, o acusado asseverou que estava buscando informações a respeito do filho e que estava inconformado com a situação. #2017 #PaiMataFilho