Um homem, considerado um maníaco estuprador em série, acabou sendo preso nesta segunda-feira (15), no Rio de Janeiro. De acordo com informações do portal de notícias G1, Alexandre de Oliveira Santana, de 36 anos, é suspeito por cometer abusos sexuais em série.

Ele foi preso no momento em que estava andando pelas ruas de um município da Baixada Fluminense, Seropédica. O homem é acusado de ter estuprado várias alunas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Pelo menos três moças já o reconheceram.

Devido à violência na principal universidade pública da região, estudantes do campus da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro fizeram um grande protesto.

Publicidade
Publicidade

A manifestação pedia mais segurança no campus e um trecho da BR-465 chegou a ser interditado.

Apenas na última semana, como mostra uma reportagem feita pelo portal G1, duas alunas da UFRRJ foram violentadas sexualmente. A matéria lembra que o local, que é afastado de tudo, propicia que hábitos não tão seguros virem uma rotina. Um deles é o de pegar caronas com motoristas da região, pois há apenas dois horários de ônibus que passam na universidade: um no período da tarde e outro à noite.

Reclamações constantes e resposta das autoridades

No período noturno, a situação ainda envolve outros medos das universitárias, que se queixam, por exemplo, da falta de iluminação ao redor da instituição. Em nota enviada ao portal de notícias G1, a reitoria da instituição de ensino superior confirmou os dois estupros nos últimos sete dias.

Publicidade

De acordo com o estafe universitário, todas as medidas que podem ser tomadas pela reitoria estão sendo realizadas. Além disso, estudos para melhorar a segurança também estão sendo analisados. Já representantes da Polícia Militar do Rio de Janeiro revelaram que fazem patrulhamento frequentemente em toda a região do campus.

Após a série de estupros, a Prefeitura de Seropédica se ofereceu para colocar toda a estrutura da Secretaria de Ordem Pública para monitorar a região e diminuir o risco para as estudantes. É bom dizer que, em Mesquita, outro município da Baixada Fluminense, uma menina de doze anos sofreu um estupro coletivo no fim do mês passado. A polícia avalia se haveria uma segunda vítima no local do #Crime. A participação do namorado da vítima e de três outras pessoas também é investigada.