Um crime brutal e horripilante aconteceu na cidade de Nossa Senhora do Socorro, localizada na região metropolitana de Aracaju, capital de Sergipe. A cidade possui aproximadamente 200 mil habitantes e é o segundo município mais populoso do estado nordestino.

A população de Nossa Senhora do Socorro vem sendo surpreendida com o aumento dos índices de #Violência na cidade, crimes violentos e com requintes de crueldade, deixam a população amedrontada. Infelizmente a violência é crescente em todo o Brasil, onde a segurança pública não recebe a devida atenção dos nossos governantes, deixando a população a mercê da própria sorte.

Publicidade
Publicidade

Em todo território brasileiro existem reclamações sobre a falta de policiamento e a falta de recursos aplicados na segurança pública é grande responsável pelo sucateamento de frotas inteiras, falta de pagamento do polícias, péssimas condições de trabalho, presídios e delegacias lotadas e até mesmo falta de munição para as armas. Como exigir um bom trabalho da polícia?

Mais um crime bárbaro entra para as manchetes dos jornais, de acordo com o portal de notícias online G1, um idoso morador de Nossa Senhora do Socorro (SE), foi brutalmente assassinado, sua cabeça foi decepada e deixada na casa de uma vizinha. O homem tinha 69 anos e o crime aconteceu na quarta-feira (3), no Conjunto João Alves. Ainda não se sabe o que teria motivado tal barbaridade.

Idoso é assassinado, decapitado e corpo é queimado

Segundo as informações cedidas pelo do 5º Batalhão da Polícia Militar, ainda não se sabe o que motivou um crime com requintes de extrema crueldade como este.

Publicidade

A investigação mostra que um grupo de homens invadiram a residência do idoso, ele foi covardemente agredido, assassinado, decapitado e seu corpo incendiado dentro de sua casa. Um detalhe diante de toda essa crueldade chamou a atenção da polícia, a cabeça da vítima foi deixada na casa de uma das vizinhas do homem.

Quando alguns populares viram os sinais do incêndio na casa da vítima acionaram os bombeiros para conter o incêndio. Foi então que o assassinato macabro foi descoberto.

Diante de tamanha brutalidade parentes e moradores da região optaram pelo silêncio. As investigações estão sendo conduzidas pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Em regiões violentas a lei do silêncio prevalece o que dificulta bastante o trabalho da polícia.

Até o momento do encerramento desta matéria, nenhum suspeito havia sido identificado ou detido. #Investigação Criminal #Casos de polícia