O empresário do goleiro Bruno Fernandes, Lúcio Mauro de Melo Rodrigues, de 44 anos de idade, está sendo procurado pela polícia de Minas Gerais, por suspeita de um homicídio cometido na última quinta-feira (18). Por ser empresário do atleta, o empresário foi o responsável pelo seu contrato com o Boa Esporte, de Varginha, Minas Gerais. O goleiro defendia o clube desde que foi beneficiado por uma liminar provisória, mas voltou à cadeia no final de abril. Na imagem onde estão comemorando o acordo com o clube mineiro, Lúcio é o que aparece de blusa preta.

O crime aconteceu na cidade de Matozinhos, Minas Gerais. O jovem Rodrigo da Silva Almeida, de 20 anos, foi baleado com um tiro no tórax, morrendo no próprio local.

Publicidade
Publicidade

Uma ambulância foi acionada para socorrê-lo, mas, quando chegou, não havia mais o que fazer.

#Lúcio Mauro, padrasto do rapaz, é acusado de ser o principal suspeito do crime. De acordo com informações da Polícia Militar, a vítima é filho da esposa de Lúcio Mauro e estaria espancando a mulher. Tentando apaziguar a confusão, o empresário atirou no rapaz. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), quando Rodrigo discutia com o padrasto, ele o ameaçava de por um fim na vida da família toda.

Ainda de acordo com o Boletim de Ocorrência, Lúcio Mauro, logo após cometer o crime, fugiu do local em um carro e está sendo procurado pela polícia.

Segundo a Polícia Militar, a vítima era usuário de drogas, tinha passagens por vários crimes e permaneceu preso por mais de um ano, estando em liberdade há pouco tempo.

Publicidade

A esposa do empresário relatou à polícia que o marido a ajudou a cuidar do seu filho, desde que ele era criancinha.

Ex-candidato a vereador

No ano passado, o empresário do goleiro Bruno Fernandes se candidatou a vereador em Matozinhos, Minas Gerais, pelo PSDB, com o nome “Lúcio Força do Bem. Ele conseguiu 431 votos no pleito, mas não se elegeu.

O delegado da cidade de Matozinhos, Ednelton Carracci, assegurou que o suspeito se apresentará por livre e espontânea vontade, na delegacia da cidade.

O goleiro Bruno foi condenado pelo assassinato de Elisa Samúdio, sendo a causa da morte “emprego de violência aplicada na forma de asfixia mecânica (esganadura)”. Assim que o Supremo Tribunal Federal divulgou uma nota considerando Fernandes capaz de esperar pelo seu julgamento em liberdade, Lúcio Mauro se responsabilizou por procurar clubes para o jogador trabalhar novamente e, assim, conseguiu um ótimo contrato para Bruno no Boa Esporte.

Até o momento desta publicação, Lúcio Mauro de Melo Rodrigues ainda não havia sido encontrado. #Empresário de Bruno mata enteado