Um jovem de 20 anos foi #preso em flagrante na cidade de Goiânia, capital de Goiás, depois de confessar a morte do enteado. Renato Carvalho Lima contou a polícia que #matou a criança de 9 anos simulando uma brincadeira. O garoto Antônio Jorge Ferreira da Silva era filho de Geane da Silva de Oliveira, de 27 anos. Ela e Renato estavam namorando há pouco tempo, após se conheceram no trabalho. Mas, segundo as primeiras suspeitas, os dois teriam arquitetado o assassinato da criança.

Para tentar disfarçar o crime, eles inventaram uma historia e procuraram a polícia. O casal foi a central de flagrantes registrar uma ocorrência de sequestro.

Publicidade
Publicidade

A mulher teria dito aos policiais que o filho foi sequestrado por agiotas, a quem o namorado devia dinheiro.

A mulher teria chegado à delegacia chorando, bastante desesperada e contou a história do sequestro para os policiais. Ela declarou que os agiotas só devolveriam a criança se eles pagassem um valor de R$ 1,6 mil que Lima devia. Segundo ela, eles teriam conseguido apenas R$ 850, mas não era suficiente. Aí ela também contou que eles teriam ameaçado matar o menino se eles não pagassem o valor integral.

Geane não sabia o nome de nenhum dos agiotas, mas chegou a dar características físicas e até o endereço deles. Só que o escrivão que fazia a ocorrência desconfiou da versão da mulher e teve ainda mais dúvidas durante o depoimento do namorado.

No depoimento, o homem deu a mesma versão da mulher, mas havia algumas contradições e uma coisa chamou a atenção do escrivão.

Publicidade

O homem estava com marcas de unhas no pescoço e também no braço. Ele foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) para fazer um exame de corpo de delito, que comprovou que as marcas eram de unhas.

As marcas encontradas eram do menino, que tentou lutar contra a morte. Ele teria arranhado o padrasto tentando fugir do enforcamento. Por causa das marcas, Lima foi ouvido novamente e acabou confessando o assassinato.

Ele contou todos os detalhes à polícia com frieza e levou os investigadores até o local do crime. Depois de matar o garoto #enforcado e enrolar o corpo em um cobertor, ele teria colocado a criança dentro de uma caixa de papelão e jogado em um matagal. Mas só na tarde do último domingo (21), o corpo do menino foi encontrado já em estado de decomposição.

Lima e Geane foram ouvidos na delegacia de investigações criminais. No interrogatório, o rapaz teria dito que matou a criança a pedido da namorada. Isso por que o menino estava atrapalhando o relacionamento dos dois. Geane desmentiu em depoimento. Ela disse que não sabia de nada e que o namorado agiu sozinho. Mas, mesmo com a negativa a historia, não convenceu e ela também foi presa.

Agora a polícia vai investigar para saber toda a verdade e descobrir qual deles contou a versão real dos fatos.