Um casal foi preso pela polícia acusado de assassinato e estupro de vulnerável na quinta-feira (4), na cidade de Caldas Novas, no Sul de Goiás. O casal acusado de ter cometido o #Crime foi identificado como Fernando Marques Silva, de 25 anos, que é padrasto da vítima, e Denise Moreira, de 23 anos, a mãe da criança. Segundo a polícia, a vítima de 1 ano e 6 meses morreu por hemorragia interna devido os ferimentos internos causado pelo estupro. Os suspeitos negaram ter abusado da vítima.

Conforme informações apuradas pela polícia, a garotinha havia sido levada pelo casal inconsciente e com vários hematomas para uma unidade médica de Caldas Novas.

Publicidade
Publicidade

Ainda de acordo com a polícia, na unidade médica, os profissionais da saúde tentaram reanimar a bebê, mas não tiverem sucesso.

Como a menina estava com vários hematomas, os médicos suspeitaram que ela houvesse sofrido algum tipo de violência doméstica. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) da cidade, onde passou por exames para comprovar as causas da sua morte.

De acordo com informações dos laudos médicos, a menina morreu devido uma hemorragia interna provocada pela violência sexual que sofreu. Ainda segundo o laudo, a vítima apresentava várias lesões em sua genitália, e os abusos teriam acontecido entre a noite de quarta-feira e a manhã de quinta-feira.

Segundo informações da polícia, as únicas pessoas que estavam com a garotinha no dia em que ela foi violentada sexualmente foi o casal.

Publicidade

Porém, na delegacia, os suspeitos negaram que a vítima foi violentada sexualmente. Eles relataram uma versão diferente do laudo médico.

Segundo eles, a menina estava deitada em uma cama e havia caído de cima. Mas a sua versão dos acusados não bateu com os resultados dos exames. Após o depoimento, os suspeitos foram transferidos para a penitenciária de Caldas Novas, onde ficarão à disposição da Justiça para tomar todas as medidas necessárias dentro da lei.

Segundo a polícia, Fernando Marques Silva vai responder a inquérito pelo crime de estupro de vulnerável qualificado pela morte da menina. Já Denise Moreira poderá responder pelo mesmo crime e também por omissão.

Caso ambos sejam considerados culpados, as penas podem variar de 12 a 30 anos de reclusão. Um inquérito foi aberto e o caso está sendo investigado pelas autoridades locais.

E você leitor, qual é a sua opinião sobre o casal que é acusado de abusar e matar a vítima? Deixe o seu comentário logo abaixo. #Investigação Criminal #Casos de polícia