Um vídeo mostra uma confusão ocorrida em um posto de saúde localizado na cidade de Francisco Beltrão, no Sudoeste do Estado do Paraná. Uma paciente agrediu violentamente uma #Médica.

Segundo funcionários do posto de saúde, duas pacientes chegaram ao local na manhã desta segunda-feira (29), mas ficaram aguardando pouco tempo e saíram. Aproximadamente 30 minutos depois, as mulheres retornaram.

Mas, ao invés de aguardarem a vez, as mulheres seguiram direto para o consultório de uma das médicas e exigiram que fossem atendidas. Elas haviam sido chamadas no intervalo que deixaram o posto e perderam a vaga. Com isso, teriam que esperar outras pessoas serem atendidas.

Publicidade
Publicidade

Indignada com o fato, uma das mulheres, em uma espécie de surto, começou a fazer um escândalo e desferiu socos e chutes na porta da sala onde a médica estava. A médica, horrorizada com a situação, pediu que as mulheres saíssem do local, momento em que foi agredida fisicamente com chutes, socos e puxões de cabelo.

Servidores ficaram revoltados

Todos os servidores do estabelecimento de saúde ficaram revoltados com a situação. Disseram ainda que essa não foi a primeira vez e provavelmente não será a última em que funcionários e médicos são violentamente agredidos por pacientes. Na verdade, esse tipo de fato é bem frequente.

Veja o vídeo da #agressão da médica Francisco Beltrão:

Outro caso

Também não foi a primeira vez que isso aconteceu no Paraná. Há pouco mais de um mês, em 20 de abril, uma mulher foi presa em flagrante depois de agredir uma enfermeira da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Boa Vista, em Curitiba.

Publicidade

Segundo testemunhas, a paciente que aguardava no local há algum tempo pensou que a fila seria furada por outras pessoas, razão pela qual foi para cima da enfermeira. Gritando, disse que era a vez dela. Se não bastasse, a mulher destruiu objetos que estavam no local e que serviam para o funcionamento do posto de saúde.

A mulher, não identificada, foi segurada por outras pessoas que estavam no local e levada à delegacia pela Guarda Municipal de Curitiba. Em nota, a Prefeitura divulgou que a mulher estava esperando há algum tempo porque é praxe de qualquer unidade de saúde dar prioridade para pacientes com risco de morte.

A mulher foi indiciada e responderá pelo crime de dano qualificado, que prevê a aplicação de pena de seis meses a três anos de prisão.A enfermeira que foi agredida teve ferimentos leves. #Polícia