Uma #menina de 3 anos, chamada Isadora, morreu, neste sábado (6), após um procedimento no #dentista ter corrido mal. O incidente aconteceu em Itaim Paulista, bairro da Zona Leste de São Paulo, e o caso é arrepiante. A criança morreu três dias depois de ter engolido uma #Agulha que a dentista deixou cair em sua garganta, enquanto estava dando a anestesia.

A mãe, de 31 anos, ainda levou a menina para o hospital, mas a criança acabou morrendo após uma parada cardiorrespiratória. A Polícia Civil já está investigando este caso, que pode ter como culpado a dentista, por negligência, mas também os médicos que atenderam a menina mais tarde.

Publicidade
Publicidade

A mãe da criança revelou que levou a filha na dentista, para reconstruir um dente molar na quarta-feira da semana passada (3). A dentista estava dando a anestesia para a menina, quando soltou a agulha, que caiu na garganta de Isadora. Supostamente, a dentista ainda teria tentado tirar a agulha com seus dedos, mas sem sucesso.

De acordo com a mãe da menina, ela tentaria ainda dar água para a criança, tentando provocar seu vômito. A ideia da profissional seria que a criança vomitasse e assim expelisse a agulha naturalmente.

Porém, nada disso aconteceu e a mãe não teve alternativa e levou Isadora ao pronto socorro. No local, perceberam que a menina precisava de uma cirurgia para remoção da agulha e eles não tinham como o fazer, encaminhando a menina para o hospital.

Isadora deu entrada na noite de quarta-feira, mas a cirurgia somente foi realizada no dia seguinte.

Publicidade

Após o procedimento, um médico teria entregado uma agulha para a mãe da criança, falando que teria sido esse o objeto removido, o que não a convenceu.

A mulher teria falado que não era a mesma agulha. De acordo com o que a mulher contou na polícia, o médico entregou uma agulha de sutura para ela, bem diferente de uma agulha de anestesia. Ela teria notado a diferença, mas o médico garantiu que ela estava equivocada e que era aquele o objeto que eles encontraram na menina.

Durante a noite, Isadora teve febre e no dia seguinte, ela foi encaminhada para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva), onde permaneceu até sábado de manhã. A menina estava com uma infeção generalizada e acabou morrendo por uma parada cardiorrespiratória, no final da manhã.

O corpo da criança foi levado para ser autopsiado, no IML (Instituto Médico Legal) da Zona Leste. A mãe já deu depoimento no inquérito aberto pela Polícia Civil para apurar o caso e entregou a agulha que o médico deu para ela ao final da suposta cirurgia.

Os investigadores vão agora aguardar pelo resultados dos exames necroscópicos, quando poderão avaliar se existiu ou não negligência dos médicos que atenderam a menina no hospital.