#Luana Muniz, travesti conhecida pelos múltiplos projetos sociais que realizou no Rio de Janeiro para ajudar a travestis, mulheres transexuais, prostitutas, portadores do HIV e pessoas em situação de rua, faleceu aos 59 anos, na madrugada deste sábado (6), no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla. Seu velório acontece neste domingo (7), no Cemitério do Irajá, às 13 horas.

Luana estava internada desde o fim de abril. Chegou a entrar em coma, mas seu quadro havia apresentado uma melhora e se mostrava lúcida. Contudo, após complicações médicas decorrentes de uma forte pneumonia, resultando em problemas renais e no coração, veio a falecer.

Publicidade
Publicidade

As mensagens de força publicadas em sua página do Facebook mostram o quanto a Rainha da Lapa era querida por muitos.

Coroada em 2016 como Rainha do baile de Carnaval The Gala Gay, era atriz registrada e trabalhava havia 47 anos como garota de programa. Apresentou-se em diversos cabarés pela Europa, onde também era conhecida e respeitada. Natural do Rio de Janeiro, tinha nacionalidade italiana e falava seis idiomas. Por muito tempo, ia à Itália uma vez por ano para trabalhar por três meses.

Era presidente da Associação dos Profissionais do Sexo do Gênero Travesti, Transexuais e Transformistas do Rio de Janeiro (Agenttes), que recebia ajuda financeira até de artistas famosos e foi uma das fundadoras do Projeto Damas, implementado pela Prefeitura do Rio com o objetivo de oferecer capacitação profissional e orientação vocacional a travestis e mulheres transexuais para que tenham mais chances de empregabilidade.

Publicidade

Dona de imóveis que alugava a travestis, sempre acolheu as que a procuravam, dando conselhos, protegendo as garotas de abordagens violentas no Centro da cidade e até mediando brigas entre elas. Era conhecida também como Mãe Luana, pela maneira como cuidava de todas.

Acreditava em uma melhora na situação como as travestis eram vistas pela sociedade, devido às organizações que estavam surgindo e ao apoio recebido por figuras importantes. Ganhou fama nacional depois de aparecer no programa Profissão Repórter, em 2010, quando, ao se desentender com um cliente em potencial, disse a frase que se tornou um bordão até hoje repetido na internet: "Tá pensando que travesti é bagunça?"

Em 2015, obteve mais notoriedade devido a um encontro com o padre Fábio de Melo, durante a comemoração do aniversário de Alcione, na Estação Primeira de Mangueira. A cantora, madrinha e amiga de Luana desde a década de 1970, foi visitá-la no hospital na quinta-feira (4) e lamentou profundamente sua morte. #Transgênero #LGBT