Após pedidos da prefeitura de #Curitiba, a juíza Diele Denardin Zydek, da 5° Vara da Fazenda Pública, determinou que nenhum movimento social poderá montar estruturas de barracas e fazerem acampamentos na cidade de Curitiba. Essa liminar solicitada pela prefeitura e concedida pela juíza é uma forma de evitar badernas nas praças da cidade. Quem descumprir a ordem terá que pagar multa de R$ 50 mil.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estará dando seu depoimento ao juiz federal Sérgio Moro, nesta quarta (10). Em decorrência disso e sabendo que vários movimentos a favor do ex-presidente pretendem ir ao Paraná pressionar Moro, a ordem concedida pela juíza da proibição dos acampamentos será a partir das 23h desta segunda-feira (08) e vai até às 23h de quarta.

Publicidade
Publicidade

Também está delimitada pela Justiça a distância de aproximação ao prédio da Justiça Federal. Num raio de 150 metros não poderá ocorrer a passagem de pedestres e carros, apenas aqueles que são moradores da região ou que tiveram a permissão da Justiça.

Segurança

A administração municipal alegou que essas proibições são necessárias para manter a ordem pública na cidade e a segurança de todos. Os movimentos a favor de Lula se concentrarão na Rua XV de Novembro e os contra o ex-presidente ficarão no Centro Cívico. A Polícia Militar estará nas ruas evitando vandalismos e possíveis atritos entre os manifestantes. Tudo será monitorado pela Polícia Federal.

Em seu despacho, a juíza explicou que os direitos fundamentais consistem na liberdade de pensamento e de #Manifestação, porém, nada pode atrapalhar a locomoção das pessoas.

Publicidade

Revolta

Os movimentos sociais ficaram revoltados com o pedido da prefeitura de Curitiba e com a decisão da juíza. A Frente Brasil Popular repudiou a atitude do prefeito Rafael Greca (PMN) e afirmou que as caravanas serão feitas.

Segundo o movimento pró-Lula, essa medida busca impedir que pessoas possam ir a Curitiba demonstrar apoio a Lula, o que para eles, não seria democrático.

Um pequeno tom de ameaça apareceu na íntegra da nota divulgada pelo movimento: "As caravanas serão realizadas e ninguém pode impedir. Lutaremos pelos nossos direitos. Ninguém pode impedir-nos de realizar as nossas manifestações", disse a Frente Brasil Popular.

Mais uma vez, o que dá a impressão, é que os simpatizantes do PT e de Lula não se intimidam com a Justiça e isso pode ser um "pesadelo' para eles, que terá a Polícia combatendo qualquer desordem pública.