Seria até cómico se não fosse trágico. De acordo com o portal de notícias do G1, Leonice Moreira de Sousa, de 23 anos, foi presa pela Polícia Civil, no dia 28 de março, na cidade de Goiânia, capital do estado de Goiás, sob a acusação de ter matado um homem dentro de um bar naquela cidade.

O que mais chamou a atenção neste #Crime é que a mulher possui problemas de visão, além de ser estrábica. De acordo com a polícia, ela tentou atirar em uma rival e errou o alvo, matando um cliente do bar que não tinha nada com as desavenças delas.

Errou o alvo

Leonice é acusada de matar por engano José Paixão dos Santos, de 59 anos, durante uma briga dentro de um bar, localizado no bairro Jardim Europa.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Dannilo Proto, ela errou o alvo por causa do seu problema de visão, na verdade a intenção de Leonice era matar uma mulher que estava no local, que seria sua rival em um relacionamento amoroso. O irmão da suspeita, Maico Douglas, de 26 anos, também foi preso por participação no crime.

As apurações da polícia mostram que Leonice e Maico estavam bebendo em um bar, quando ela e uma mulher começaram a discutir por causa do ex-namorado da suspeita. Segundo algumas informações a acusada sempre teve muito ciúmes desta mulher. Durante a discussão, Leonice chegou a ser agredida pela rival, foi então que ela e o irmão deixaram o estabelecimento, foram até em casa e voltaram para o bar com duas armas.

Leonice começou atirar tentando acertar a mulher, mas por causa do seu estrabismo e baixa visão ela não acertou nenhum tiro em seu alvo e acabou matando um homem que estava a aproximadamente 20 metros dela, dentro comércio.

Publicidade

Embora a suspeita negue o crime e afirme que quem matou o homem foi seu irmão, segundo o delegado Dannilo, as testemunhas que estavam no local afirmaram que foi a mulher a autora do disparo que levou José Paixão a óbito.

Assim que foi detido, Maico Douglas assumiu o crime e disse em depoimento que sua irmã não teve nada a ver com o caso, contudo, a versão dele não é considerada verdadeira pela polícia. Tanto Leonice e quanto Maico vão responder por homicídio qualificado, crime previsto em lei com pena que pode ser de 12 a 30 anos de prisão.

O índice de violência é crescente em todo o Brasil e a cada dia aumenta o número de assassinatos por motivos torpes. A sensação de impunidade é que incentiva tantos crimes. É preciso que os governantes do Brasil trabalhem em prol da segurança pública. #Investigação Criminal #Casos de polícia