A Polícia Civil está investigando um suposto caso de #Transfobia, que teria acontecido em São Gonçalo, interior do Rio de Janeiro. De acordo com o portal de notícias do jornal O Tempo, Bruna Andrade de César, de 23 anos, foi internada à força em uma clínica psiquiátrica, pelo fato de sua mãe não aceitar a condição da filha.

Preconceito e covardia

Segundo a trans Bianca da Cunha Moura, de 22 anos, que é namorada de Bruna, a mãe da vítima as convidou para visitá-la. As duas saíram de Belo Horizonte e foram para o Rio de Janeiro. No dia 11 de maio, uma ambulância parou em frente à casa da mãe de Bruna e dois enfermeiros a pegaram à força.

Publicidade
Publicidade

Na rua, antes de ser colocada dentro do veículo, a jovem teria sido obrigada a tirar suas roupas, ficou seminua e teve que vestir peças masculinas.

A internação truculenta e sem o consentimento da jovem, supostamente, seria transfobia, ou seja, preconceito contra as pessoas transexuais, travestis ou transgêneras.

Na quarta-feira (17), Bianca buscou ajuda na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Niterói, também no interior do Rio de Janeiro. Lá ela relatou que ela e a namorada foram mal recebidas na casa de mãe de Bruna e que, desde que chegaram, eram mal tratadas e recebiam todos os tipos de xingamentos. Então, elas decidiram ir embora. Porém, no dia em que estavam de saída, foram surpreendidas com a chegada da ambulância. Bruna foi levada em prantos e gritando muito e a namorada não teve como ajudá-la.

Publicidade

A família de Bruna se negou a dizer para qual clínica ela foi levada e, desde então, Bianca não tem mais notícias da namorada. Ainda de acordo com Bianca, a mãe de sua namorada apoiou a internação compulsiva e avisou que, agora, ela iria curar a filha.

Bianca ainda relatou que elas se conheceram em São Gonçalo, em 2014, mas por causa do preconceito que sofriam constantemente, resolveram se mudar para a capital mineira. Ela relata que a família de sua namorada nunca aceitou sua transexualiade. Em Belo Horizonte, elas viviam na Casa de Referência à Mulher Tina Martins, localizada no bairro Funcionários, na região Centro-Sul da cidade.

O perfil de Bruna no Facebook desapareceu. Não se sabe qual foi o destino da jovem, mas cogita-se que ela tenha sido levada para uma clínica no interior de São Paulo. Nesta sexta-feira (19), Bianca e a mãe de Bruna foram ouvidas na Delegacia de São Gonçalo.

Tanto a Polícia Civil, como a Assessoria de Direitos Humanos e Minorias do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) investigam o caso. A mãe de Bruna disse que o filho - ela se nega em chamar a jovem no gênero feminino - foi internado porque tem sérios problemas psicológicos. #Crime #Casos de polícia