Mais um fim de semana violento, como tantos outros na Região Metropolitana de Belo Horizonte, deixou um rastro de sangue. O que chamou a atenção foi que desta vez foram as mulheres que cometeram os crimes violentos.

De acordo com o portal de notícias online R7, brigas entre companheiros terminaram em três mortes. Entre sábado e domingo, dois homens e uma mulher perderam a vida por causa de brigas e desentendimentos. As mortes aconteceram na Grande BH, duas em Contagem e uma em Santa Luzia. As autoras dos crimes são mulheres que alegaram não ter intenção de matar.

Brigas, ciúmes e morte

No sábado (13), Adriana Serafim dos Santos, 35 anos, matou seu namorado, Anderson Vieira Martins, 31 anos, servente de pedreiro.

Publicidade
Publicidade

O #Crime aconteceu em Contagem. Adriana alegou que o crime foi em legítima defesa. Segundo as primeiras apurações da #Polícia, o casal começou a discutir ainda durante a madrugada. Ela afirmou que levou um soco do namorado. Para se defender, teria corrido até a cozinha e pegado uma faca. Ainda durante a discussão, ele teria a empurrado na cama e caiu sobre ela, sendo perfurado pela faca. A vítima chegou a ser socorrida pelo SAMU (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), mas não resistiu e veio a óbito. Parentes de Anderson afirmaram que Adriana era muito ciumenta e que já havia feito ameaças ao namorado.

Na tarde deste domingo (14), uma estudante de 19 anos foi presa acusada de matar seu companheiro de 37 anos na cidade de Santa Luizia. Segundo testemunhas, a briga teria começado depois que a vítima, Rodrigo Ferreira, mexeu no celular da namorada, Bianca Alexandra Ferreira.

Publicidade

Ele teria agredido a namorada por ciúmes. Ao ser agredida, a estudante pegou uma faca e desferiu um golpe na garganta de Rodrigo. Depois de atingir o namorado, ela ainda tentou estancar o sangue. Um vizinho ajudou a socorrer, mas o carro parou no percurso ao hospital. Uma viatura da polícia ao passar pelo local auxiliou o homem, levando-o para o hospital mais próximo, porém, ele não resistiu.

Na noite de domingo, Karine Kenia Soares, de 22 anos, foi presa como suspeita de matar a companheira Katlen Viana de Paula, de 19 anos. Segundo as investigações, a discussão começou por causa de ciúmes. Karine relatou para os policiais que empurrou Katlen no chão depois que ela tentou agredi-la com um pedaço de pau. Karine ainda disse que, para evitar mais discussão, deixou a namorada na calçada e entrou em casa. Elas moravam juntas em um cômodo de um lava jato na cidade. Foi quando os cães começaram a latir sem parar. Ela notou que Katlen estava demorando para entrar, ao sair do local, percebeu que a jovem estava desacorda. Desesperada, chegou a acionar o serviço de emergência, contudo, quando chegaram ao local, a jovem estava sem vida.

A polícia continua investigando a real motivação dos crimes. #Casos de polícia