Um #Crime chocante chamou a atenção dos brasileiros nesta semana, principalmente por envolver rituais satânicos. Um jovem de vinte anos, morador de Itapevi, na Grande São Paulo, foi filmado estrangulando outro rapaz até a morte e invocando o “exu da morte” enquanto apertava o pescoço da vítima.

O vídeo começou a circular por um aplicativo de mensagens, e ajudou a polícia a identificar o autor do crime, que depois de matar, amarrou uma pedra no corpo da vítima e a jogou em um riacho próximo. Equipes de busca localizaram o corpo e a polícia em seguida descobriu os detalhes macabros do assassinato.

Preso, autor confessa que devia uma alma para o demônio

Através do vídeo original, do estrangulamento fatal, os policiais reconheceram o local, foram até lá e prenderam o suspeito, que confessou o crime e ainda deu detalhes.

Publicidade
Publicidade

Lucas Matheus Batista Santos, ao ser interrogado, disse que estrangulou o amigo depois de uma discussão e que depois de morto, amarrou uma pedra nas costas do cadáver, enrolou em um lençol e fez uma oferenda ao diabo. Como o corpo acabou enroscado, ele teve que entrar na água e desprendê-lo com as próprias mãos.

O que chamou a atenção dos policiais que atenderam a ocorrência foi a frieza de Lucas, que disse que não se arrepende e que agora estava quites com o exu da morte. Segundo o autor, ele bateu bastante na cabeça da vítima antes de esganá-lo e que também pisou na garganta para que ele parasse de respirar.

Além da confissão e da motivação apresentada pelo assassino, a polícia investiga também outras hipóteses para o crime, além do ritual macabro. Lucas tem várias passagens por furtos e roubos e estava desempregado, além de ser usuário de drogas.

Publicidade

Mesmo com a confissão e o motivo apresentado, outros fatores podem ter levado ao ato bizarro, filmado e compartilhado anonimamente no WhatsApp. Vale ressaltar que o compartilhamento de vídeos ou fotos de crimes também é uma contravenção penal, que pode trazer sérias consequências para quem faz o compartilhamento.

Entretanto, a filmagem foi fundamental para que o caso fosse elucidado, já que foi através das imagens que os policiais identificaram o local e, consequentemente, o autor. A notícia teve grande repercussão nas redes sociais e mais uma vez levantou a polêmica sobre rituais e sacrifícios satânicos, causando muita discussão entre os internautas e muitas manifestações de surpresa e de espanto. Por obra do demônio ou não, o criminoso irá pagar pelo seu crime. #2017