Infelizmente, alguns crimes são bastante graves. Uma nova ação, no entanto, está chamando a atenção de todo o país. Investigadores da Delegacia de Araruama, no estado do Rio de Janeiro, acabaram prendendo um homem que teria matado o próprio filho por um motivo absurdo, não querer pagar a pensão alimentícia da criança, um direito estabelecido por lei. O garoto tinha apenas treze anos e teve o seu corpo encontrado em um praia da região. O nome do menino é Robson da Silva Ribeiro Junior, como mostra uma reportagem do portal de notícias R7 a respeito do caso. Assim que o corpo foi encontrado na Praia Seca, em Araruama, o caso provocou grande comoção na região.

Publicidade
Publicidade

O estudante sumiu no dia seis de março, após sua mãe levá-lo para a escola. Depois de se despedir do menino, ela nunca mais o viu com vida. Mais tarde, descobriu-se que o garoto não teria nem mesmo entrado no colégio para aula. Ele teria sido vítima de uma emboscada bolada pelo próprio pai.

Para chegar à essa conclusão, a polícia utilizou câmeras de segurança da região. O menino foi visto, graças ao aparato tecnológico, andando de mão dada com o seu progenitor. Ele estava acompanhando o filho para um destino terrível. A própria polícia ficou surpresa ao saber que o carro do pai da criança rodeava a região na hora do sumiço do garoto. Além disso, o pai dele também esteve na praia, onde mais tarde o corpo do menor de idade, acabaria sendo achado pelos investigadores.

O cadáver do garoto foi achado apenas quatro dias após o seu sumiço.

Publicidade

Certamente, todo esse período foi bastante angustiante para toda a família. O pai do menino, Robson Silva, esteve na delegacia de Araruama, onde prestou depoimento. De acordo com informações da polícia, o primeiro depoimento do acusado teria sido inventado. Testemunhas seguintes, acabaram desmentindo tudo o que o pai havia contado durante a sua fala. Ele acabou sustentando a história dada no início por pouco tempo. Isso porque, após ser confrontado com perguntas esclarecedoras, mudou a versão a respeito do que havia dito inicialmente.

De acordo com o pai do garoto, ele estava passando pela região apenas por ocasionalidade. No entanto, o pai teria visto seu filho e teve a ideia de ir junto com ele até à praia. No local, o criminoso contou a história de que o seu filho teria se afogado. Ele com medo confessa que enterrou o corpo da criança para não ter preso ou ganhar a responsabilidade em torno do ato. A polícia descobriu, mais tarde, que a pensão alimentícia era alvo de irritação do pai da criança, que não queria pagá-la. #Crime #Investigação Criminal