Uma história terrível veio a público nesta sexta-feira (12). A Polícia Militar de Mogi das Cruzes, cidade localizada no interior de São Paulo, libertou uma jovem de 21 anos de um cativeiro onde era mantida presa e sob tortura pelo próprio pai. Ela ficou em poder dele vivendo em condições desumanas por pelo menos dois anos.

De acordo com o portal de notícias G1, a denúncia sobre o cárcere privado da jovem chegou até a polícia na quinta-feira (11). Ela vivia em uma casa sem energia elétrica, sem condições mínimas de higiene, era agredida constantemente e passava fome.

Torturada

A mulher foi libertada pela Polícia Militar e confessou que era mantida presa no imóvel pelo seu pai.

Publicidade
Publicidade

Há aproximadamente dois anos ela não saía da casa e não tinha contato com ninguém, a não ser o próprio pai, seu algoz.

Segundo a jovem, ela foi espancada inúmeras vezes e o acusado apagava as bitucas de cigarro em seu corpo. Seu rosto é todo marcado com por causa das queimaduras. De todas as dores e desespero nestes quase 24 meses de confinamento, ela disse que o que mais doía era a fome.

A jovem ainda relatou que, desde que sua mãe morreu em 2006, está sob a guarda de seu pai e aos 12 anos de idade foi impedida de ir para a escola. Sua orelha esquerda está deformada, de acordo com ela, por causa de uma facada desferida por seu pai.

Na tarde de quinta-feira, a polícia esteve no imóvel e constatou que a vítima estava presa dentro da casa, que tem janelas e portas com grades. Uma equipe de policiais foi até o local onde o pai da jovem trabalhava, na Rua Thuller, no Jardim Universo, em Mogi das Cruzes.

Publicidade

Ele foi conduzido até a casa onde a filha era mantida presa. Os policiais abriram a porta e finalmente a garota foi liberada.

Prisão

O homem, que tem 46 anos e trabalha como segurança, foi preso sob a acusação de sequestro, cárcere privado e tortura. Na delegacia, ele confessou que mantinha a filha presa na casa para evitar que ela tivesse relações sexuais com desconhecidos. Como ele precisava trabalhar, ele mantinha a filha presa.

Isolada do mundo e sem família, a jovem se viu completamente incapacitada de se livrar do seu cativeiro. Algumas pessoas notaram que algo de errado acontecia, mas devido às ameaças do pai da jovem, não tomaram nenhuma providência.

Uma mulher de 25 anos, que se apresentou como testemunha, informou para a polícia que sua mãe teve um relacionamento com o pai da jovem e que muitas vezes presenciou o homem agredindo a filha. Ela contou que ele chegou a mantê-la algemada por vários meses.

Abrigo

Na manhã desta quinta-feira, a jovem ainda estava na delegacia aguardando a sua transferência para um abrigo da região, onde ficará segura. A mulher parece que está em estado de choque, fala pouco, com o olhar perdido no tempo. O pouco que ela falou foi para relatar os maus tratos sofridos e deixou claro a vontade que tem de voltar a estudar e no futuro, segundo ela, se tornar cantora. #sequestro #Crime #Casos de polícia