Uma mulher identificada como Albeani Santos, que seria #Pastora da Assembleia de Deus, Regional Pioneira, foi flagrada pelo marido saindo de um motel em Macapá, no estado do Amapá.

'Pecado da Carne'

A mulher, que nasceu em Bacabal, no estado do Maranhão, foi flagrada pelo marido no estabelecimento e literalmente a puxou pelos cabelos e fez um escândalo gigantesco.

A pastora, que prega fidelidade e respeito à família (e ao marido) deveria colocar o que ensina em prática, mas "em casa de ferreiro o espeto é de pau".

O marido alega, ainda, que esse foi um dos piores momentos que já passou em toda sua vida.

Consternado, o homem chama a #Polícia e a encaminha a própria mulher para delegacia.

Publicidade
Publicidade

Veja o vídeo:

O vídeo viralizou nas redes sociais e mostra o homem gritando e puxando, até de forma agressiva, a mulher pelos cabelos.

Ainda não satisfeito, o agressor diz que as pessoas deveriam filmar, porque a mulher era "uma pastora que ele pegou em frente ao motel".

Tentando se defender, a mulher pede para que ele a solte e diz "não faz isso!".

Mas o homem não solta de jeito nenhum e afirma com convicção que não está agredindo a esposa, mas que "apenas" a flagrou no motel. Ainda justifica o ato dizendo que é trabalhador e que se "lascava" para sustentá-la, recebendo, em troca, infidelidade.

Ainda, o homem frisa o fato de que Albeani é uma pastora, fazendo alusão à conduta moral que ela deveria praticar, conforme os dogmas da sua igreja.

A pastora é bem conhecida dentre o público evangélico, especialmente em seu estado natal e viaja o Brasil inteiro "pregando" a palavra de Deus.

Publicidade

A pastora e seu marido foram encaminhados à delegacia, até porque ela também foi vítima de agressão por parte do marido.

Muitas doutrinas evangélicas condenam a infidelidade e até mesmo o divórcio entre cônjuges.

Entretanto, em vista do fato ocorrido, pode ser que, por ora, a pregação da pastora seja um pouco contestada por seus fiéis, já que ela aparentemente se desviou do "caminho" e não tem colocado em prática os seus próprios ensinamentos.

Crime de agressão

Ainda que o marido tenha chamado a polícia, é bem provável que ele "se dê mal".

Desde a égide da Lei nº 11.106/05, que alterou diversos dispositivos do Código Penal Brasileiro, o adultério (infidelidade) não é mais considerado como crime. No máximo, serve como justificativa para indenizações por dano moral, contestação ao pagamento de pensões (frise-se, não é regra que a pensão deixe de ser paga por causa disso, o que depende da análise do caso concreto pelo juiz do processo) e outros aspectos de natureza civil.

Por outro lado, o homem agrediu a mulher. Para ele, a princípio, vigora a Lei Maria da Penha. Ou seja, ao que tudo indica, quem vai levar a pior é o marido. #Infilel