A vida não está fácil para o publicitário Jeferson Monteiro, criador da conta Dilma Bolada, hoje com quase 2 milhões de seguidores no Facebook. O perfil, que era para ser ser uma linha cômica e caricata da ex-presidente, acabou transformando-se numa página política de apoio à Dilma.

E isso pode ser explicado pela delação da marqueteira, Mônica Moura, e de seu marido, João Santana. Segundo marido e mulher, o publicitário teria recebido ao menos R$ 200 mil em dinheiro vivo durante a campanha para reeleição de Dilma Rousseff, em 2014.

Mas, segundo ele mesmo aponta, em entrevista ao Buzz Feed Brasil, isso jamais conseguirá ser provado, pois ele nunca recebeu absolutamente nada.

Publicidade
Publicidade

Ainda questionou aos quatro cantos o porquê da acusação e ainda se a mentira não comprometeria a delação premiada, que segundo ele, é difamatória e mentirosa.

Por conta desta delação de Mônica Moura, Jeferson Monteiro garantiu que vai processar a marqueteira, já que sua vida 'virou um inferno' depois da citação ao longo da delação premiada da esposa de João Santana. Ele alega apenas que teve um contato com ela, Mônica, por telefone em 2014, e que ele demonstrou interesse no programa de TV da campanha de Dilma, pois estaria alinhado com sua profissão e formação. Entretanto, como o publicitário conta, apenas um contato com um funcionário de Mônica Moura, aconteceu em um café no Rio de Janeiro, mas que não evoluiu para uma proposta de trabalho e que depois disso, não foi mais procurado, nem por Mônica, nem por seu marido João Santana.

Publicidade

Há ainda controvérsias. Segundo Jeferson, o perfil #dilma bolada foi criado em 2010 e foi retirado do ar antes das eleições por haters que denunciaram a página. Entretanto, segundo Mônica Moura, os R$ 200 mil tinham como objetivo devolver a página ao ar, levantando a hipótese de que ela havia sido retirada do ar justamente para uma possível chantagem.

Sobre isso, Jeferson falou que tem relação pessoal com a ex-presidente e não precisaria da Mônica para uma possível chantagem a Dilma. Segundo ele, ainda está devendo o aluguel e vive de forma simples.

Já para Mônica Moura, o pagamento foi feito porque Dilma, que gostava da publicidade feita pela página, ficou furiosa ao ver que a página havia saído do ar durante o período eleitoral de 2014. Dilma achava, segundo Mônica, que o conteúdo favorável ao PT e à sua candidatura, na época da eleição, ajudaria os candidatos do partido e inclusive a ela, na reeleição. [VIDEO]

O pagamento teria sido intermediado por Edinho Silva, ex-ministro de Dilma e hoje prefeito de Araraquara.

Cabe lembrar que João Santana e Mônica Moura foram os responsáveis pelas campanhas de Dilma em 2010 e 2014, e de Lula em 2006. Os dois foram presos na operação Lava Jato, negociaram delação premiada, e, por conta disso, tiveram suas penas abrandadas [VIDEO]. #Propina #Rede Social