O Rio de Janeiro acompanha com perplexidade o desenrolar de um #Crime local, que acabou tendo repercussão nacional. Uma menina de 12 anos do município de Mesquita, na Baixada Fluminense, teria sofrido um estupro coletivo. Nesta sexta-feira (12), o caso ganhou uma reviravolta inesperada. Isso porque acreditava-se que seriam quatro meninos que aparecem no vídeo molestando a jovem, mas havia uma quinta pessoa presente no local, além, da vítima.

Ela é uma menina que já se apresentou à polícia como testemunha. A jovem foi identificada e ouvida, e os policiais agora apuram se ela também foi vítima do #Estupro coletivo. O caso está sendo investigado pela DCAV (Delegacia da Criança e Adolescente Vítima).

Publicidade
Publicidade

Quem cuida da apuração é a delegada Juliana Emerique de Amorim. De acordo com ela, que deu uma entrevista ao portal de notícias R7, essa menina já foi ouvida.

A testemunha também seria menor de idade, porém mais velha que a vítima do crime bárbaro que se disseminou pela internet. A delegada, no entanto, preferiu não se aprofundar mais nos detalhes de sua investigação e disse que, caso falasse além do que já disse, poderia até mesmo causar prejuízo à investigação.

A reviravolta no crime acontece em um momento que o inquérito sobre o crime já foi concluído e até o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro ofereceu sua denúncia sobre o caso à Justiça.

Além desse, outros dois inquéritos estão sendo desenvolvidos pela polícia. Um deles quer identificar os responsáveis por divulgar o conteúdo na internet.

Publicidade

O outro quer ter certeza mesmo se a quinta pessoa do crime, a segunda menina, seria mesmo uma vítima ou ela, na verdade, ajudou no crime contra a primeira adolescente.

A menina de Mesquita foi estuprada ao ir à casa do namorado para uma pequena festa, no final do mês de abril. Alguns dias depois do abuso sexual, o vídeo com as cenas chocantes foi disponibilizado na internet. Um dos estupradores da menor de idade é o próprio namorado dela, que já se entregou a polícia.

Do grupo, ele era o único maior de idade e, por isso, está preso Não há um prazo para que a apuração desse crime acabe.

No ano passado, às vésperas da Olimpíada do Rio de Janeiro, outra menina também foi violentada. Naquela oportunidade, a garota disse que foi molestada por mais de 30 pessoas em uma comunidade carente. O caso repercutiu em todo o mundo. #riodejaneiro