Uma seita religiosa extremamente cruel foi desmantelada nesta sexta-feira (5) na cidade de Petrópolis, localizada na região serrana do Rio de Janeiro.

Esta suposta seita religiosa é acusada de praticar vários crimes e o pior deles é a mutilação de crianças. A polícia já estava investigando esta organização criminosa e deflagrou a operação para prender os responsáveis pela quadrilha.

De acordo com o portal de notícias G1, a 1ª Vara Criminal de Petrópolis do estado do Rio de Janeiro, expediu nesta sexta-feira 15 mandados de prisão e de mandados de busca e apreensão. Na operação a Polícia Civil conseguiu prender 11 suspeitos, 4 estão foragidos e as investigações continuam.

Publicidade
Publicidade

Saiba mais aqui.

Seita religiosa macabra que vitimava crianças é investigada

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu 11 suspeitos de participarem de uma seita religiosa que cometia vários crimes, entre eles podemos citar estelionato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica, além da mutilação de crianças.

Sete homens e quatro mulheres foram presos, no bairro Itaguaí, localizado em Petrópolis, os criminosos foram encaminhados para a 105ª Delegacia de Polícia do bairro Retiro na mesma cidade. Quatro suspeitos continuam foragidos e a polícia trabalha para descobrir o paradeiro dos mesmos.

De acordo com as informações dadas pelos policiais que participaram da operação, a seita foi fundada em 1990 no Maranhão. No ano de 2013 a base da seita foi transferida para Petrópolis no RJ. Em abril de 2016 a polícia descobriu um sítio localizado km-74, na rodovia BR-040 onde a seita funcionava.

Publicidade

Na época a justiça concedeu um mandato de busca e apreensão no local, a polícia encontrou neste sítio roupas infantis e documento de várias crianças enterradas no terreno, livros que ensinam a fazer procedimentos cirúrgicos, carros de luxo, uma enorme quantidade de ácido glicólico, dezenas de cartões de crédito, documentos de pessoas físicas e jurídicas utilizados para aplicar golpes e lavagem de dinheiro.

O responsável e mentor da seita, Donato Brandão Costa foi preso na operação desta sexta-feira. Ele já havia sido condenado a aproximadamente 38 anos de prisão em 1999. Depois de cumprir quase 11 anos da pena, foi concedido a ele um habeas corpus que o colocou em liberdade. A condenação foi baseada nos seguintes crimes cometidos por Donato, lesão corporal gravíssima, falsificação de documento público e estelionato.

Ainda segundo a polícia Donato Brandão também possui outras condenações em São Paulo. No sítio em Petrópolis não há informações ou provas que tenham acontecido mutilação de crianças, contudo as investigações continuam. #Religião #Crime #Casos de polícia