Uma menina de 12 anos foi vítima de estupro coletivo, com o #Crime sendo denunciado nesta sexta-feira (5). O crime aconteceu no Rio de Janeiro, mais especificamente na Baixada Fluminense. Quem fez a denúncia desse acontecimento chocante foi uma tia da criança. O caso foi entregue à Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (DCAV). Até ao momento não foram divulgados mais detalhes sobre a vítima, uma vez que os investigadores pretendem proteger a menina.

O caso foi entregue a delegada Juliana Emerique, titular da DCAV. O #Estupro coletivo aconteceu no último domingo (30). Os investigadores estão ainda tentando saber qual a razão pela qual a menina de 12 anos se encontrava com os rapazes que a estupraram.

Publicidade
Publicidade

O crime foi filmado e existe um vídeo com o triste acontecimento. Na gravação é possível ver pelo menos cinco rapazes nus estuprando a criança com apenas 12 anos. Nas mesmas imagens se pode ouvir a vítima gritando e pedindo para que os rapazes parem de a estuprar, mas eles ignoram e as agressões continuam.

Envergonhada, a vítima tenta esconder o rosto com uma almofada e aí se ouvem as reações macabras dos estupradores: “Cala a boca. Vão ficar ouvindo a sua voz e vão saber que é tu”, diz um dos criminosos, enquanto que o outro diz em tom desafiante “tapa o rosto da novinha.”

Entretanto, a delegada fez algumas revelações sobre como está decorrendo a investigação. Juliana Emerique informou que a menina só conhecia um dos estupradores e que ainda está sendo averiguada a identidade de cada uma das pessoas que aparecem nas imagens e qual a idade.

Publicidade

A gravação mostra claramente que existe um crime. Para começar, a menina tem apenas 12 anos, o que configura estupro de vulnerável. Além disso, nas imagens é possível perceber perfeitamente que o sexo não foi consentido.

A delegada fez algumas considerações e pedidos aos jornalistas. A responsável do DCAV explicou que é muito importante que a vítima seja localizada. Dessa forma, poderá prestar depoimento e fazer exames que são considerados como imprescindíveis para a resolução do caso.

Nesta sexta-feira à noite (5), a Polícia Civil fez diligências para obter mais informações sobre caso. A mulher que fez a denúncia afirmou que a sobrinha está muito assustada, uma vez que vive em uma comunidade que é dominada pelo tráfico. Embora não exista ainda uma confirmação clara, tudo leva a crer que os estupradores são traficantes ou estão envolvidos em outro tipo de criminalidade.

A delegada fez ainda um apelo para que qualquer pessoa que conheça essa história que contate a delegacia, pois qualquer ajuda é bem-vinda para conseguir identificar o grupo de estupradores. #Pedofilia