A jovem Leonice Moreira de Sousa, de 23 anos de idade, foi presa pela Polícia Civil. Ela é acusada de ter tirado a vida por engano de José Paixão dos Santos, de 59 anos, quando participava de uma briga em um bar no bairro Jardim Europa, em Goiânia, capital de Goiás. A Polícia Civil informou que a acusada sofre de um problema de visão - ela é #vesga -, o que teria afetado no momento em que ela disparou com a arma e acabou acertando a pessoa errada. O irmão de Leonice também acabou sendo preso por ter colaborado com o crime.

“Ela tem estrabismo e baixa visão. Então ela tentou matar uma mulher no bar por questões de ciúme, mas acertou um cliente que não tinha qualquer ligação com a história devido a esse problema”, explicou o delegado Dannilo Proto.

Publicidade
Publicidade

Caso

Tudo aconteceu na noite do dia 11 de março deste ano. Os irmãos Leonice e Maicon Douglas, de 26 anos, encontravam-se no barzinho quando Leonice entrou em discursão com outra mulher por questões de ciúmes de um antigo caso amoroso. Ela apanhou e fugiu do estabelecimento.

“Leonice foi juntamente com o irmão em sua casa para buscar duas armas e retornaram ao barzinho atirando contra a mulher que a teria agredido. A mulher conseguiu escapar dos tiros sem nenhum ferimento, mas devido ao problema de visão de Leonice, ela acabou acertando o José Paixão, que estava a quase 20 metros da verdadeira vítima dela”, explicou o delegado responsável pelo caso.

Na delegacia, Leonice não confessou o crime. Ela deu o depoimento afirmando que em nenhum momento atirou contra a vítima e que o seu irmão é quem seria o verdadeiro autor dos disparos contra José Paixão.

Publicidade

Mesmo assim, a polícia prendeu Leonice no dia 28 de março e o irmão dela só veio ser preso no último dia 12 deste mês. Na delegacia, ele acabou confessando a autoria do crime e inocentou sua irmã, dizendo que ela não teve qualquer participação no crime.

Mesmo com seu depoimento confessando a autoria do crime, a polícia não acredita que foi Leonice a responsável por atirar contra a vítima por acidente. “As pessoas que testemunharam a ação nos revelaram que Leonice é quem estava mais próxima da vítima e, após colher as informações das testemunhas, tudo leva a crer que Leonice seja realmente culpada pelos disparos contra a vítima”, concluiu a delegado.

Proto ainda informou que ambos irão responder pelo crime de homicídio qualificado. Eles poderão ser condenados a uma pena entre 12 e 30 anos de prisão. #Brasil #homicídio