Na tarde desta quinta-feira (18), uma motorista decidiu furar um bloqueio feito por manifestantes que pediam a renúncia do presidente Michel Temer. Ela acabou indo com o carro para cima das pessoas. O fato aconteceu na Avenida Anhanguera, em Goiânia. Duas pessoas acabaram ficando feridas, mas as coisas poderiam ter sido mais grave.

Ela foi fechada por pessoas que queriam impedir a sua passagem. Desesperada com o fato, a motorista decidiu acelerar para cima dos manifestantes. Foi uma grande confusão. Dos feridos, uma mulher foi levada pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para um hospital da região.

Publicidade
Publicidade

A outra vítima é o marido dela, que acabou machucando um dos braços.

Veja as cenas:

De acordo com informações de Cleiton Pereira dos Santos, técnico em enfermagem que ajudou as vítimas, a mulher atropelada pode ter sofrido alguma lesão, pois ela estava reclamando de bastante dor. "Pela minha experiência ela teve alguma fratura", disse o técnico.

A condutora do veículo e uma outra pessoa que também estava no carro foram retirados do local e escoltados pela #Polícia Militar. Eles irão prestar depoimento. O sargento Welder Alves Justino afirmou que a condutora estava em estado de choque ao ver uma multidão querendo apedrejar seu carro.

Manifestação

O #Protesto começou na Praça do Bandeirante, Setor Central e reuniu umas 300 pessoas, segundo a organização. Várias entidades participaram e tudo foi organizado pelas redes sociais.

Publicidade

Vários sindicatos que apoiam a esquerda estão envolvidos nessas manifestações. De acordo com os organizadores, além da renúncia de Temer, eles afirmam que o ato é contra as reformas estabelecidas pelo governo.

Delações

Tudo começou com a divulgação do depoimento dos empresários e irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS. Eles conseguiram gravar áudios e encaminharam à Justiça. Nos áudios, são mostradas conversas entre eles e o presidente Michel Temer e também o senador afastado Aécio Neves.

Em um dos áudios divulgados, Michel Temer dá aval para que seja feito suborno na compra do silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, diante do avanço da Lava Jato. Temer negou a relação com os empresários e disse que analisará as gravações.

Aécio foi afastado do seu cargo de senador por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin. De acordo com a delação, o tucano pediu R$ 2 milhões para pagar despesas com advogados, frente aos processos da Operação. #Manifestação