Como já dizia o velho ditado, "Quando a esmola é demais, o santo desconfia". Mas mesmo diante de uma suposta #Promoção sem precedentes do #McDonald's, capaz de deixar qualquer um com a pulga atrás da orelha, aproximadamente 100 mil pessoas se tornaram vítimas de cibercriminosos.

De acordo com o portal de notícias online Canaltech, uma suposta promoção da rede de fast food McDonald's, que oferecia um cupom de R$ 70,00 que poderia ser usado em compras em qualquer loja da rede, chamou a atenção de dezenas de milhares de usuários do WhatsApp que caíram em um #Golpe e tiveram seus smartphones, tablets e computadores infectados por um vírus.

Publicidade
Publicidade

A suposta promoção se alastrou rapidamente pelo WhatsApp, pois cada pessoa deveria compartilhar o cupom com desconto de R$ 70 reais para mais 10 contatos e, assim, as vítimas foram se multiplicando e em poucas horas o estrago já era grande.

Quem recebeu o voucher foi induzido a preencher um cadastro em um falso site do McDonald's, onde era preciso colocar alguns dados pessoais e ainda pedia para que fossem feitos alguns downloads de aplicativos que têm como função infectar os aparelhos. Além de deixar os dados pessoais como senhas, contas bancárias, acesso a e-mails e documentos confidenciais.

O vírus também pode causar danos irreversíveis nos aparelhos infectados, por isso, todo cuidado é pouco.

Nota do McDonald's

Em nota, a rede de fast food McDonald's veio a público fazer alguns esclarecimentos.

Publicidade

A empresa esclareceu que tal cupom com desconto de R$ 70,00 não é de conhecimento do McDonald's Brasil. A rede de lanchonete afirmou que lamenta o prejuízo causado às pessoas pela falsa campanha. A empresa ainda ressaltou que somente é possível retirar voucheres promocionais no site oficial de cupons do McDonald's, ou através do seu aplicativo.

Cuidados

É preciso ficar sempre atento aos golpes que circulam pela internet. Os cibercrimonosos se aperfeiçoam diariamente com a única intenção de causar prejuízos a terceiros.

Alguns cuidados são vitais para que você não se torne vítima de crimes cibernéticos, veja:

  • Desconfie de grandes promoções vinculadas nas redes sociais;
  • Jamais faça download de aplicativos ou de documentos com origem duvidosa;
  • Não repasse seus dados pessoais e senhas por e-mail ou redes sociais, geralmente bancos e instituições financeiras não utilizam destes meios para entrar em contato com seus clientes;
  • Não repasse seu endereço, CPF, RG, para desconhecidos nas redes sociais.

Em caso de supostas promoções feitas por grandes lojas, entre em contato com o SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) da empresa e certifique-se da veracidade.