Uma brincadeira de muito mau gosto não teve o resultado esperado para os alunos do 3º ano do Ensino Médio de uma escola particular do Rio Grande do Sul. A ideia "genial" de fazer uma festa zombando de profissões honestas pegou mal e todos eles tiveram que sofrer com as consequências das críticas na redes sociais.

A festa "Se nada der certo" aconteceu no último dia 17 de maio e viralizou na web durante toda esta segunda-feira (5), após a publicação das fotos do evento. A ideia era que os próprios alunos se fantasiassem de trajes típicos de carreiras que eles não gostariam de seguir, mas "se nada desse certo", seria a escolha deles.

Publicidade
Publicidade

O tio saiu pela culatra e tudo fez parecer como um deboche mal intencionado para profissões que são muito importantes para toda a sociedade.

"Fantasias" de faxineira, gari, atendente de lanchonete e vendedora de perfumaria foram as que chamaram mais atenção. Os jovens ainda postaram as imagens nas suas redes sociais, orgulhosos da ideia que tiveram para fazer a feira de profissões "ingratas".

O caso aconteceu na Instituição Evangélica de Novo Hamburgo (IENH), ligada à Igreja Católica. A escola fica localizada na região metropolitana de Porto Alegre.

Outras fantasias também chamaram a atenção, como vendedor ambulante de bebidas, de doces e salgados, além de entregador de pizza e alimentos, mecânico, churrasqueiro e até mesmo desempregados e mendigos estiveram presentes na feira dos estudantes secundaristas.

Publicidade

Pronunciamento da escola

Por meio de nota oficial, a instituição declarou que não teve a intenção de discriminar as profissões elencadas na feira, pois, "muitas delas fazem parte do próprio quadro administrativo e são essenciais para o bom funcionamento da Instituição". O texto parece não ter convencido muitas pessoas, pois as críticas na internet demonstram que a população até mesmo de Porto Alegre está insatisfeita com o posicionamento da escola.

"Que lixo! Escola que está formando pessoas totalmente sem noção da realidade e preconceituosas", postou uma moradora da cidade no Facebook.

Em outro trecho, a escola afirma que a ideia é que o encontro promovesse descontração entre os alunos durante a preparação para o vestibular. Muitos deles relatam estarem tensos com a carga de estudos.

O resultado tem ficado cada vez mais desastroso na internet. Com a propagação das fotos, perfis de alunos têm sido invadidos por reclamações e verdadeiras lições de moral. Alguns internautas propuseram uma experiência.

"Eles deveriam passar um mês trabalhando nessas profissões para aprender a dar duro na vida e não zombar de gente honesta. Bando de playboy sem noção", disse uma pessoa pelo Facebook.

"Atividades como essa auxiliam na sensibilização dos alunos quanto a conscientização da importância de pensar alternativas", justificou a escola. #Polêmica #absurdo #Brasil