A interceptação de uma aeronave bimotor que levava #500 kg de cocaína causou alvoroço neste domingo (25). O assunto foi um dos mas comentados no país ontem e continua dando o que falar, podendo estremecer ainda mais as estruturas do governo do presidente Michel Temer (PMDB-SP), marcado por escândalos de corrupção e pela queda de vários ministros. Segundo o piloto que conduzia a aeronave, o #avião decolou em uma pista localizada em uma fazenda arrendada por uma das empresas do atual ministro da Agricultura, #Blairo Maggi (PP-MT), no Mato Grosso.

A informação caiu como uma bomba em Brasília nesta segunda-feira (26) e ao assunto já é um dos mais comentados nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade

Blairo Maggi, no entanto, nega qualquer tipo de ligação com o piloto que fazia o transporte da cocaína.

Em nota divulgada à imprensa, a assessoria de comunicação da empresa AMAGGI, ligada ao ministro Blairo Maggi, ressalta que não existe qualquer tipo de ligação entre a empresa e a aeronave que transportou a droga. A nota também ressalta que não foi dada autorização para a decolagem da aeronave em nenhuma das pistas localizadas na Fazenda Itamarati Norte, atualmente arrendada pela empresa.

Veja a nota divulgada pela assessoria de imprensa da AMAGGI:

Na nota divulgada pela assessoria, os representantes da empresa alegam que a região é usada como rota do tráfico de drogas e que, em abril deste ano, a AMAGGI chegou a prestar apoio à Polícia Federal durante operação para a apreensão de uma aeronave clandestina que usaria a pista, levando drogas.

Publicidade

Entenda o caso

O bimotor foi interceptado na tarde do domingo pela domingo (25) pela Força Aérea Brasileira (FAB), em Aragarças (GO). A carga, avaliada em R$ 10 milhões, estava dentro do avião e foi apreendida pela Polícia Militar de Goiás. A ação integrou a Operação Ostium da Polícia Federal, que coíbe crimes nas regiões de fronteira, com apoio da FAB e órgãos de segurança pública.

Segundo informações que, a princípio, haviam sido divulgadas pela FAB, no domingo, o avião tinha decolado na Fazenda Itamarati Norte, que fica no município de Campo Novo do Parecis, no Estado de Mato Grosso.

Em novo comunicado, emitido nesta segunda-feira, a FAB informou que os dados sobre o local em que aconteceu a decolagem tinham sido fornecidos pelo piloto do avião, durante as medidas de policiamento do espaço aéreo.

Durante a interceptação, o piloto tentou arremeter para empreender fuga. Os oficiais da FAB chegaram a dar um "tiro" para prevenir a fuga e o piloto acabou pousando em uma área na zona rural.