Um vídeo divulgado nas redes sociais acabou virando um tremendo fenômeno. As imagens começaram a circular na sexta-feira (9) e mostram um criminoso sendo autuado por outros homens, que o acusam de roubo. Ele tem, em seguida, o rosto tatuado com a célebre frase 'Eu sou ladrão e vacilão'. Mas além disso, o que se sabe sobre a história do vídeo? O portal de notícias R7 decidiu fazer uma reportagem a respeito do caso e acabou desvendando que no suposto ladrão é R.R. da Silva, de 17 anos.

Quem teria cometido tal ato?

Alguns meios de comunicação confirmaram a prisão do tatuador neste sábado (10). Maicon Carvalho dos Reis seria o autor da tatuagem polêmica.

Publicidade
Publicidade

Ele teria realizado o crime ao lado de Ronildo de Araújo, seu vizinho. Ronildo também foi preso, como mostra uma matéria do R7 sobre o #Crime inusitado.

Tatuador que escreveu 'Sou ladrão e vacilão' em suposto ladrão acaba preso

O tatuador foi indiciado pelo crime de tortura. O mesmo indiciamento foi dado pela polícia a Ronildo. A prisão acabou acontecendo no estúdio de Maicon, que fica no Centro de São Bernardo do Campo, no estado de São Paulo. De acordo com o código penal, quem comete o crime de tortura pode ser preso por dois a oito anos de prisão. Essa pena pode ser aumentada em dez anos, caso o crime seja caracterizado como de grave lesão no corpo da vítima.

Vídeo mostra tatuagem feita em testa de menor, que é acusado de crime

No vídeo divulgado pelas redes sociais, o menino é instigado a dizer que realmente cometeu um crime e, por isso, estava sendo torturado.

Publicidade

O tatuador chega a dizer que a tatuagem vai doer no rapaz, surpreendendo com sua risada. Em outro vídeo, a dupla formada pelo vizinho e o tatuador ficam questionando o suposto meliante se ele teria tentado roubar uma bicicleta de um homem que trabalha no farol e é deficiente físico. Os homens mostram a tatuagem ao rapaz e ainda questionam se ele gostou.

Vergonha em voltar para casa

A família do menino diz que ele é usuário de drogas e que, por isso, não falou nada para a polícia a respeito do caso. Um tio do menino, de 33 anos, contou que é comum que ele suma de casa por alguns dias e que, por isso, não fez nenhuma queixa na polícia a respeito do assunto. No entanto, ele frisou que dessa vez a situação causa preocupação devido à tatuagem. Ele, que informa que o sobrinho ainda não apareceu em sua residência, acredita que o menor de idade esteja com vergonha da tatuagem e também do cabelo, que estaria cortado bem curto.

Deixe seu comentário. Ele é sempre importante. #Investigação Criminal