O Superior Tribunal Federal (#STF) realizou nesta quinta-feira, dia 22, mais uma rodada de votos para definir a validade das delações premiadas da empresa #JBS, que envolve denúncias contra importantes figuras da política nacional como o senador Aécio Neves e o presidente Michel Temer.

Nesta quinta-feira, os ministros Luiz Fux, Luís Barroso e Rosa Weber votaram favoravelmente à decisão de manter as delações válidas e de manter o ministro Edson Fachin como relator do processo. O primeiro dia de votações foi realizado na quarta-feira, dia 21, quando o próprio Fachin e o ministro Alexandre de Moraes votaram favoravelmente à validade das delações.

Publicidade
Publicidade

Com os votos desta quinta, o placar está em 5 a 0 pela validade e pela manutenção de Fachin como relator. Mais seis ministros ainda devem votar a partir desta sexta-feira.

A votação pela validade da delação foi realizada após recurso da defesa do governador do estado do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, que contestou a legalidade das delações de executivos da empresa, incluindo a de Joesley Batista, um dos proprietários do grupo. O governador é um dos citados nos depoimentos, que revelam a prática de pagamento de caixa dois para políticos de alto escalão. #Corrupção