A Divisão de Investigações Criminais de Itajaí (DIC), em Santa Catarina, indiciou cinco homens pela morte de um #Engenheiro. O crime aconteceu no início do ano, mas os autores foram identificados e confirmados nesta semana. A morte teria sido encomendada por R$ 9 mil, mas os policiais ainda trabalham para descobrir quem foi o mandante do assassinato.

O engenheiro Sérgio Renato Silva foi executado no dia 22 de fevereiro, na frente de sua residência, na Praia Brava, em Itajaí. Ele era um homem bastante influente na região, sendo responsável pela aprovação de projetos na Secretaria de Planejamento de Balneário Camboriú, município localizado a 16 km de Itajaí.

Publicidade
Publicidade

Uma das linhas de investigação da polícia de Itajaí é que o crime tenha correlação com a influência que o engenheiro tinha na Prefeitura de Balneário. Segundo o delegado que investiga o caso, Weydson Silva, essa hipótese não é descartada. No entanto, ele ressalta que a conclusão do inquérito depende das testemunhas, entre eles, moradores da região e os cinco acusados, dos quais quatro já estão presos.

Imagens registram fuga dos criminosos

A polícia informou que um dos indiciados pelo crime está foragido. Os autores do crime foram identificados pelas câmeras de segurança da rua em que a vítima morava.

Publicidade

Nas imagens, que foram publicadas no YouTube, é possível ver que os autores fizeram um trabalho para reconhecer o local de moradia do engenheiro. Eles passaram pelo local três vezes antes de cometerem o crime. Duas das passagens foram no dia 17 de fevereiro e a terceira ocorreu no dia da execução.

De acordo com a polícia, os indiciados Guilherme Habeck e Matheus Zacarias chegaram ao local do crime em uma motocicleta. A dupla chamou o engenheiro, que foi atender a porta. A vítima notou que os homens estavam armados e tentou fugir, mas foi morta pelas costas.

Neste vídeo, é possível ver o momento exato em que os homens saem da casa da vítima, após a execução:

Encomenda do crime

Em entrevista ao portal Clic RBS, o delegado confirmou que o crime trata-se de uma execução praticada com o uso de duas armas diferentes e por duas pessoas. Ainda de acordo com a polícia, o crime foi encomendado por R$ 9 mil.

O dinheiro pago pelo serviço foi distribuído entre três pessoas: os dois que mataram o engenheiro e um terceiro.

Publicidade

Paulo Anderson dos Santos é suspeito de ter feito todo o trabalho de gerenciamento do crime. Paulo, Guilherme Habeck e Lucas da Silva confessaram a participação. Já Matheus Zacarias está foragido.

Lucas da Silva, outro envolvido, já está preso em Mato Grosso do Sul. Ele é um dos que fizeram o reconhecimento da área onde o engenheiro vivia, antes do crime. Já o dono da motocicleta utilizada pelos criminosos, identificado como Jefferson Peyerl, negou ter participado do crime. Ele afirmou que já tinha vendido a moto quando tudo ocorreu. #crime encomendado #Itajaí