Um homem foi preso pela polícia acusado de ter atropelado a esposa e o amante no momento em que ambos saiam de um motel na noite de sábado (10), no bairro Zumbi, na cidade Manaus, no Amazonas (AM). O homem, de 33 anos, cujo nome não foi revelado pela polícia, é o principal suspeito de ter tentado assassinar a esposa e o amante. Segundo informações, o acusado teria descoberto que a esposa estava no motel com o amante ao usar o rastreador de celular. Ao perceber a localização exata da esposa, o suspeito foi até o local para confirmar a #traição.

Ao avistar o casal saindo do estabelecimento comercial em uma motocicleta, o homem acelerou o carro e atropelou o casal.

Publicidade
Publicidade

Conforme informações divulgadas pela polícia, o carro passou por cima da perna da mulher e o amante da jovem teve as duas pernas quebradas. O socorro foi acionado por testemunhas, relatando que um casal havia sido atropelado com suspeita de fraturas.

De imediato, uma equipe de socorristas se deslocou ao local para prestar os primeiros atendimentos. Em seguida, o casal foi levado para uma unidade médica no bairro São José. A direção da unidade médica não revelou o estado de saúde das vítimas.

Polícia também foi acionada

A polícia também foi acionada por testemunhas. Quando a polícia chegou ao local informado, o acusado estava na cena do #Crime e não resistiu à prisão. Em seguida, foi encaminhado para a delegacia da cidade. Na delegacia, o homem confessou o crime e disse que agiu de cabeça quente.

Publicidade

Após o depoimento, ele foi acusado de atuar em flagrante pelo crime de tentativa de assassinato.

Mulher havia levado o filho ao hospital

De acordo com testemunhas, a esposa do homem, que tem 29 anos, tinha levado o filho do casal que estava doente em uma unidade médica especializada em atendimento para criança.

Ainda de acordo com as testemunhas, a criança teria ficado no hospital. A mulher teria pegado uma carona com o amante de 30 anos e, então, ido para o motel. Na segunda-feira (12), o delgado João Victor Tayah, que colheu o depoimento do acusado, estava de folga e não conseguiu informar se o acusado ainda estava preso.

Mas, de acordo com o delegado, em mais da metade desse tipo de crime os suspeitos são liberados no dia seguinte, após uma audiência de custódia, e respondem pelo crime cometido em liberdade. #Casos de polícia