Um homem foi preso pela polícia, acusado de maus tratos aos #Animais, na segunda-feira (29), na cidade de Iporá, em Goiás. O acusado de ter cometido o #Crime foi identificado pelas autoridades locais como Sandro Pereira de Melo, de 42 anos. Para a polícia local, ele é o principal suspeito de ter decepado as duas pernas de um cachorro e jogar o animal em uma ONG de proteção aos animais na localidade. Segundo informações repassadas pela ONG, o animal não resistiu os ferimentos e acabou morrendo.

Conforme informações divulgadas pela polícia, o crime aconteceu no dia 27 de maio, mas a polícia só conseguiu prender o acusado na segunda-feira.

Publicidade
Publicidade

O delegado Ramon Queiroz Rodrigues, que está à frente do caso, relatou que o suspeito confessou o crime de mutilação do animal. Segundo o delegado, com o auxílio de imagens de câmeras de segurança, a polícia conseguiu identificar o autor do crime, que mora ao lado da instituição que cuida de animais. O homem foi preso em seguida e levado até a delegacia da cidade para prestar o seu depoimento.

Segundo Sandro Pereira de Melo, ele deu uma paulada na cabeça do animal e aproveitou o momento que o animal estava desacordado para decepar as duas pernas dele. Em seguida, ele levou e jogou o cachorro numa ONG, local onde o animal agonizou até a morte. De acordo com o acusado, ele relatou que cometeu o crime pois os latidos do animal já o estavam incomodando muito. O homem também disse para a polícia que, no mesmo mês, ele tinha matado outro cachorro a pauladas, alegando que o cão ficava balançando o portão, o que também estava lhe incomodando muito.

Publicidade

Conforme relata o delegado, o acusado, em momento algum, demonstrou arrependimento durante o depoimento. A ferramenta usada para mutilar o animal foi apreendida pela polícia. Ramon relatou que os donos dos animais mortos ainda não foram localizados e ninguém foi até a delegacia registrar uma queixa relatando a morte dos animais. Sandro, após prestar seu depoimento, foi posto em liberdade. Segundo a polícia, o sujeito vai responder pelo crime de mutilação e maus tratos aos animais. Caso ele seja condenado, ele pode pegar até um ano de cadeia e multa. O caso continua sendo investigado pela polícia.

Já em 2016, outro caso de violência contra animais, ocorrido na cidade de Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo, teve uma grande repercussão não só na cidade onde aconteceu, mas em todo o Brasil. Na ocasião, uma idosa, de 70 anos, agrediu um cachorro com um pedaço de pau. Na época, ela foi presa, mas foi liberada após prestar seu depoimento. #Investigação Criminal