Infelizmente, crimes continuam a acontecer em todo o mundo e nem sempre envolvem humanos. Muitas vezes, ações envolvendo animais podem ser bastante cruéis. As vítimas não podem se defender e o que é feito com elas pode ser bastante tenso e horrorizante. Nessa semana, uma caso acabou sendo divulgado na internet e deu o que falar. Um homem identificado como C.B.N, muito conhecido na cidade de Patos, no interior do estado de Pernambuco, teria tentado estuprar uma jumenta. No entanto, ele acabou sendo vítima de um coice do animal. A tragédia veio rapidamente e o homem, que estava desempregado acabou falecendo. A jumenta apenas tentava se defender e tomou uma ação selvagem, comum entre animais de sua espécie.

Publicidade
Publicidade

Até mesmo os cavaleiros mais experientes podem acabar sendo vítimas de um coice, que pode acabar sendo fatal.

Abusador teria sido atingido nos testículos e não resistiu

Os detalhes do #Crime são ainda mais surpreendentes. O homem, que preferimos anunciar as iniciais de seu nome, acabou sendo atingido em seus testículos. A dor de uma pancada nessa região, no representante do gênero masculino, pode ser suficiente para que ele fique com dores por muito tempo. A ação aconteceu no bairro Melindra. O site que deu as informações, que repercutiram na internet, ainda revela um fato inusitado. O estuprador tentou ter relações com a jumenta atrás de uma igreja, que dedica seus cultos ao Santo Expedito, conhecido na cultura católica por ser o santo das causas impossíveis.

Após morte, cadáver do amor é achado ao lado de sua vítima

O homem que tentou cometer o abuso levou o coice da sua vítima e morreu ali mesmo, atrás da Igreja de Santo Expedito.

Publicidade

Mais tarde, o corpo dele foi encontrado por moradores da região. O desempregado estava sem camisa e com as calças baixas, na altura do joelho, fato que demonstra o que ele estava fazendo poucos segundos antes de morrer. Já a jumenta continuava amarrada. Ela estava do lado do corpo de seu algoz, que, dessa vez, acabou se dando mal.

A polícia foi acionada e ouviu algumas testemunhas. Elas disseram que Cícero era acostumado a fazer amor com o animal, cujo nome é ´Mimosa'. Os investigadores acreditam que o animal tenha sido amarrado na madrugada, mas que não gostou do abuso de seu dono, proferindo nele um golpe. O cadáver ainda foi levado para análise clínica em uma espécie de Instituo Médico Legal da região. A causa exata da morte deve ser dita pelos legistas.

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante.