Até onde pode chegar a perversidade humana? Como uma mãe que deveria cuidar e proteger seu filho é capaz de colocá-lo vivo em uma fogueira, assistir à sua morte dolorosa de maneira fria, apenas porque o garotinho era parecido com seu pai biológico? Existe uma pena justa para um #Crime tão covarde como esse?

De acordo com o portal de notícias online G1, a mãe do garotinho Alexandre Coutrim Rodrigues, de 2 anos, que foi encontrado morto em um monte de lixo em chamas, confessou que foi ela a autora do crime e contou todos os detalhes cruéis desta barbaridade.

A mulher identificada como Adriana Coutrim Moreira cometeu o crime no domingo (25), ela foi presa na quinta-feira (29).

Publicidade
Publicidade

A barbárie aconteceu na cidade de Piranhas, no Estado de Goiás. Segundo Adriana, ela estava chateada e resolveu matar o filho porque ele se parecia com seu ex-marido.

Crime hediondo

O delegado responsável pelo caso, Ramon Queiroz da Silva, interrogou a mãe do garoto que caiu em contradição e acabou confessando o assassinato. Segundo Adriana, ela estava cansada de ficar em casa, trabalhando e que o filho estava chorando sem parar, foi quando ela decidiu que iria matá-lo e queimou o filho vivo.

De acordo com a mãe de Alexandre, ela tinha feito um monte de lixo, entulho e folhas secas, colocou fogo no lixo, jogou o menino dentro do fogo, e não satisfeita ela ainda derramou álcool sobre a criança. Segundo a mulher, o menino tentou fugir das chamas, mas ela o impediu, segurando o filho com um pedaço de madeira.

Publicidade

Acidente

Para tentar se livrar da culpa, a mulher ligou para a #Polícia e para o SAMU (Serviço de Atendimento Médico de Urgência), dizendo que o filho tinha sofrido um acidente e caído dentro de uma fogueira. Quando a polícia e o SAMU chegaram ao local, já não tinha mais nada a ser feito, o corpo do garoto estava sobre o entulho que ainda fumegava.

O delegado ficou intrigado com a versão do acidente e se perguntou por que a mãe não tentou socorrer o menino, ou mesmo, amenizar o sofrimento dele, outra mãe em tal situação teria retirado o filho das chamas, mas ela esperou o socorro chegar, sem mover uma palha.

Intrigado, o delegado voltou até a fazenda onde o menino morava com sua mãe e irmãos e voltou a confrontar a mulher que acabou confessando como matou o filho de uma maneira tão cruel que deixou até os policiais mais experientes chocados e comovidos com o sofrimento ao qual o garotinho foi submetido.

Toda a confissão da mulher, com todos os detalhes sórdidos, foi gravado em vídeo. A mulher foi presa e está à disposição da Justiça, o inquérito deve ser concluído em 30 dias.

Qual a sua opinião a respeito deste crime? Seu comentário engrandece nosso trabalho. Obrigado! #Casos de polícia