De acordo com a convocação sindical, os metroviários devem entrar em greve de 24 horas, no dia 30 de junho (sexta-feira), para reivindicar contra a reforma trabalhista e contra os direitos da aposentadoria. Se realmente eles efetivarem essa paralisação, ela será a terceira em menos de um ano.

Na quinta passada (22), houve uma assembleia que definiu a paralisação. Nove centrais assinaram apoio paralisação, mas cada categoria pode escolher a maneira de aderir ao movimento.

A partir de 0h, ficarão paradas as linhas: 1 - azul (Jabaquara - Tucuruvi); 2 - verde (Vila Prudente - Vila Madalena); 3 - vermelha (Barra funda - Corinthians Itaquera); 5 - lilás (Capão Redondo - Adolfo Pinheiro); e o monotrilho 15 - prata.

Publicidade
Publicidade

Como a linha 4 - amarela é administrada pela empresa Via-quatro, ela irá funcionar normalmente. Isso indica que as linhas Luz, República, Paulista, Fradique Coutinho, Faria Lima, Pinheiros e Butantã irão estar rodando.

O Sindicato das empresas ferroviárias responsáveis pelas linhas 8 - diamante e 9 - esmeralda não irão aderir à #Greve.

Os motoristas de ônibus também não se manifestaram quanto à adesão. Já os ferroviários das linhas 11 - Coral e 12 - Safira não informaram se irão aderir ou não a greve nessa sexta - feira.

Reunião de negociação

Durante a semana, a CUT irá mapear quais categorias irão parar nesta sexta-feira. Nesta terça-feira (27), haverá uma audiência no senado com os presidentes das centrais sindicais para que haja uma negociação.

Se realmente houver a paralisação, o metrô de São Paulo informou que solicitará ao Paese (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) sua operação, para que uma parte dos serviços seja executada por ônibus.

Publicidade

No dia 29 (quinta-feira), os metroviários devem fazer outra assembleia para decidir se irão ou não aderir à greve.

São José dos Campos

O sindicato dos Metalúrgicos, delegados sindicais e ativistas confirmaram a parada das fábricas para exigir a saída do presidente Michel Temer (PSDB). Categorias como condutores, químicos, alimentação, correios, bancários e comércio irão se reunir nesta quarta-feira(28), às 17h.

Rio de Janeiro



A Associação dos Empregados da Eletrobrás paralisará entre os dias 28 e 30 de junho.

Fortaleza

As assembleias nos canteiros de obras da região se preparam para a Greve Geral.

Aracaju



Os rodoviários, motoristas e cobradores irão aderir à greve.

João Pessoa

Os bancários de todo o estado irão aderir à greve. #greveGeral #grevemetro