Engana-se quem acredita que os problemas com orçamento pelo qual passa a PF (Polícia Federal) limita-se apenas a suspensão da emissão de passaportes, que deixaram de ser emitidos nesta terça-feira (27). Porém, o problema enfrentado pela Polícia Federal não para por aí. A partir do mês de agosto, todas as grandes operações, inclusive a #Lava Jato, que combate a corrupção no país, serão suspensas por falta de verba.

O orçamento destinado pelo governo federal para a PF teve uma diminuição gigantesca, com um corte de 44% este ano. Com uma verba menor, a Polícia Federal fica impossibilitada de continuar combatendo os crimes de corrupções e outros que assolam e destroem o Brasil.

Publicidade
Publicidade

Um delegado da PF afirmou ao jornal carioca ‘’O Globo’’ que, a partir de agosto, o órgão não terá dinheiro para fazer mais ‘’nada’’ e que vai parar tudo. Essa é uma das crises mais severas sofridas pela Polícia Federal.

O delegado lembrou que em gestões anteriores, como, por exemplo, a do PT, embora tenha sinalizado corte nas verbas por diversas vezes, as ameaças jamais foram concretizadas. O corte na verba da PF está acontecendo na gestão do presidente Michel Temer, que pertence ao PMDB.

Esse corte drástico no orçamento afeta as operações nos principais setores e a impossibilidade de não continuar as investigações poderá acarretar em grandes prejuízos para o próprio governo.

Escassez de recursos

Com o corte no orçamento, a PF não poderá bancar nem voos de suas próprias aeronaves. O mais assustador é que os delegados não poderão nem planejar grandes operações.

Publicidade

Em outras palavras, conduções coercitivas, prisões, e buscas de provas contra os crimes ocorridos são totalmente dependentes da mobilização de policiais dos diversos Estados do país e não dependem exclusivamente dos delegados da unidade da sede de apuração ou de agentes.

Com o objetivo de garantir o sigilo e a surpresa da própria ação policial, é muito comum que aconteçam missões interestaduais e isso é algo que se tornará inviável a partir do mês de agosto. O delegado ainda afirmou que, com a impossibilidade do deslocamento de policiais, não existe operação.

O corte anunciado pelo governo representa quase meio bilhão de reais. No começo do ano de 2016, em uma conversa gravada pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB), foi flagrado dizendo que seria preciso estancar a sangria da Lava Jato.

Com o anúncio do corte na verba e o pronunciamento da integrantes da cúpula da Polícia Federal, muitos internautas estão comentando que essa atitude é uma espécie de ‘’vingança’’ devido aos polêmicos desdobramentos das investigações.

Desde que Lava Jato começou, alguns políticos e empresários poderosos foram parar na cadeia e outros estão na miras de juízes e podem ser condenados ou absolvidos a qualquer instante. As denúncias de corrupção envolvem até mesmo o presidente Michel Temer.

Lembre-se de deixar o seu comentário. Sua opinião é muito importante e ajuda a debater assuntos com relevância. #policiafederal #O fim da lava-jato