Um padre de Santa Catarina [VIDEO] está sendo acusado de um #Crime grave. Ele é suspeito de abusar de pelo menos cinco crianças em um período de dois anos. Aos 37 anos, Marcos, como é chamado, acabou sendo suspenso de suas atividades. Ele realizava missas na cidade de Joinville, no estado de Santa Catarina.

A Polícia Civil, como mostra uma matéria do portal IG, emitiu uma nota sobre o caso e informou que Marcos estava naquela paróquia há pelo menos cinco anos. Foi no último período, no entanto, que o padre começou a receber reclamações. O homem começou a ser investigado no final do mês passado, quando um menino, com medo do abuso, enviou mensagens para o aplicativo WhatsApp do pai.

Publicidade
Publicidade

Uma dessas mensagens pode ser vista ao final dessa reportagem.

Polícia investiga e diz que padre teria abusado de pelo menos 5 crianças

Os investigadores concluíram que ouviram a denúncia e iniciaram a apuração, conversando com as vítimas e também com a comunidade católica da região. Todos os abusos envolvem crianças com menos de 13 anos de idade. No Brasil, a legislação garante que mesmo quando o sexo é consentido, quando ele acontece com menor de 14 anos, é considerado ato de estupro e também pedofilia. O crime pode fazer com que o religioso fique alguns anos atrás das grades. A nota da Polícia Civil de Santa Catarina ainda revela que essas não seriam vítimas isoladas e que acredita que o que ocorreu com essas crianças pode ter também ocorrido com outras.

Suspeita de outros abusos e opinião do Papa Francisco sobre o tema

Dessa forma, os investigadores ainda não encerraram as investigações sobre o caso.

Publicidade

Infelizmente, essa não é uma ação isolada envolvendo padres e pedofilia. Os escândalos nesse sentido chegaram a colocar em xeque o papado de Bento XVI, que acabou abdicando do cargo. O Papa Francisco, mesmo com todo o seu carisma, também tem evitado entrar em polêmicas nesse sentido, que aparentam ser uma espécie de calcanhar de Aquiles da igreja.

Reação da diocese de Joinville, em Santa Catarina

A Diocese de Joinville, onde o padre trabalhava, disse que seguiu o código da igreja que prevê que, diante de denúncias graves como essa, o padre seja afastado do cargo até que as investigações se concluam. Essa é uma orientação dada pelo próprio Papa Francisco. A diocese informou que, além de ter aberto um processo de investigação interna sobre o padre, está colaborando com a polícia e presta apoio às vítimas e suas famílias.

Veja abaixo um tweet que mostra a conversa entre o garoto e o seu pai. O conteúdo assusta muita gente:

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo de temas relevantes para a sociedade. #Investigação Criminal