Um crime hediondo, covarde e bárbaro chocou a cidade de Coronel Fabriciano, que fica na região do Vale do Aço, no Estado de Minas Gerais. A mãe de uma garotinha de 4 anos foi presa por permitir que o padrasto da menina abusasse sexualmente dela.

De acordo com o portal de notícias do jornal O Tempo, a menina sofria os abusos desde o mês de novembro de 2016. Durante todo esse tempo, a mãe da garotinha foi conivente com o homem, a quem ela afirma amar muito e tinha medo de perdê-lo. Ela participava e assistia aos abusos da filha para satisfazer seu companheiro que, segundo a mulher, tinha a fantasia de ter uma virgem em sua cama.

Publicidade
Publicidade

Entenda o caso

Segundo a delegada responsável pelo caso, Tereza Júlia do Nascimento, a mulher, de 32 anos, entrou em contato por telefone com a polícia há aproximadamente 15 dias. Na ocasião, ela chorava muito e relatou que a filha estava sendo abusada sexualmente. Segundo ela, o seu companheiro fazia sexo oral na menina e obrigava a criança a fazer sexo oral nele. Como o caso era bastante grave, a delegada enviou alguns policiais para a residência para buscar a denunciante.

Tereza Júlia informou que, ao chegar à delegacia, os investigadores começaram a interrogar a mulher sobre os abusos, e ela caiu várias vezes em contradição e acabou confessando que participava dos abusos contra a garotinha.

A mãe da menina disse que, às vezes, bebia demais e acabava transando na frente da menina, a pedido do marido.

Publicidade

Em outras ocasiões, ela entrava para tomar banho com a filha e permitia que o homem fizesse sexo com ela diante da criança. Depois, a menina era levada para a cama, onde era obrigada a fazer sexo oral com o homem. Ela relatou que por várias vezes a filha foi obrigada a presenciar o casal transando e que o seu companheiro sempre fazia sexo oral com a criança.

A mulher ainda afirmou que o marido nunca havia feito penetração na menina, pois dizia que esperaria a criança completar 12 anos. O que foi constatado através do exame de corpo de delito.

A delegada afirmou acreditar que a mulher viu a dimensão que o caso estava tomando e resolveu procurar a polícia na esperança de se livrar do crime. Depois, ela tentou desmentir o depoimento. O homem foi levado até a delegacia, mas negou o crime, contudo, uma vizinha da família contou à polícia que a menina já tinha comentado com ela e com uma prima da criança.

A mulher, que não teve seu nome revelado, foi presa no último dia 20. O homem foi capturado na sexta-feira (23). Ele também não teve sua identidade revelada.

Nesta terça-feira (27), o casal foi apresentado pela Polícia Civil. De acordo com a delegada, este é o caso mais repugnante de toda a sua carreira e que até os policiais mais experientes ficaram chocados e revoltados. O casal vai responder por estupro de vulnerável e podem pegar de 8 a 30 anos de prisão. #Abuso Sexual #crianças #Casos de polícia