Quatro homens foram presos pela polícia acusados de estupro de vulnerável, nesta sexta-feira (9), na cidade de Pau Brasil, na região Sul do Estado da Bahia. Os acusados foram identificados como Gutemberg Silva Marques, de 41 anos, mais conhecido como “Guta”; e os vizinhos Cosme e Damião Bandeira Castro, de 51 anos; e José Antônio dos Santos, de 61 anos, mais conhecido popularmente como “Tonhão”.

Para as autoridades locais, eles são os principais suspeitos de terem abusado sexualmente de quatro meninas com idades de 7, 8, 11 e 13 anos, todas irmãs. Segundo informações divulgadas pela polícia, as vítimas eram abusadas sexualmente diariamente pelos acusados a há cerca de três anos.

Publicidade
Publicidade

De acordo com os policiais, as investigações começaram após uma vizinha ter descoberto o #Crime e denunciado para a polícia e ao Conselho Tutelar da cidade. Segundo informações do delegado Francesco Santana, o acusado Guta é pai de três das vítimas e padrasto da quarta.

Segundo ele, além dele violentar sexualmente as crianças, Guta ainda permitia que os amigos abusassem delas. Ainda de acordo com o delgado, os abusos eram constates e aconteciam na casa das vítimas. Em algumas ocasiões, as vítimas sofriam abusos coletivos.

Segundo Santana, a mãe das vítimas sabia dos abusos, mas, como ela tem problemas mentais, não fazia muita questão. Ainda de acordo com o delegado, as vítimas foram encaminhadas para o Conselho Tutelar da cidade para tomar todas as medidas necessárias dentro da lei.

As vítimas também prestaram depoimento na delegacia e confirmaram que eram abusadas pelos suspeitos há algum tempo.

Publicidade

Após os abusos, elas eram ameaçadas para não contar o que tinha acontecido a alguém,

Segundo as vítimas, os suspeitos ofereciam dinheiro, doces e celulares para atraí-las até a casa deles, onde eram abusadas. Na apuração dos fatos, a polícia descobriu que, além dos atos libidinosos, os acusados tiveram conjunção carnal com as meninas, inclusive com a de 7 anos.

Com todas as provas em mãos, o delegado pediu a prisão preventiva dos quatro suspeitos, o que foi concedida pelo Justiça da cidade. Uma viatura da polícia se deslocou até a residência dos indivíduos, todos foram presos e encaminhado para a delegacia para prestarem mais esclarecimento sobre o caso.

Diante do delegado, todos negaram ter violentado sexualmente as meninas. Após o depoimento, os acusados foram levados para a cadeia de uma cidade vizinha devido a cidade não ter carceragem. A Polícia Civil abriu um inquérito e o caso continua sendo investigado. #Investigação Criminal #Casos de polícia