Publicidade
Publicidade

Nessa semana, um crime que chocou o Brasil ganhou uma reviravolta inesperada. Até então, o caso envolvendo o jovem tatuado na testa com a frase "eu sou um ladrão, eu sou um vacilão", era tratada como tortura. Nesse caso, pela nossa legislação, o #Crime torna-se inafiançável, ou seja, o acusado precisa esperar na prisão até que haja o seu julgamento. No entanto, o Ministério Público (MP) acabou publicando uma decisão nesta sexta-feira (23), que surpreendeu muita gente. A decisão acaba atingindo em cheio os dois acusados de tatuar a testa do adolescente de 17 anos. Um deles é Maycon Wesley, o tatuador que escreveu a frase. O outro é Ronildo de Araújo, pedreiro, que filmou as cenas violentas que acabaram sendo divulgadas na internet.

Publicidade

Ambos já estão presos desde que o crime tornou-se conhecido em todo o país.

MP denuncia dupla que tatuou testa de adolescente e exclui tortura

A denúncia feita pelo órgão acabou sendo por lesão corporal, ameaça e constrangimento fora da lei. A denúncia foi assinada pela promotora Giovana Guerreiro que, mesmo tendo um vídeo em mãos, que exibem as cenas polêmicas, não considerou que elas configurem tortura. Na prática, a pena pode se tornar mais branda. Isso porque só a tortura poderia dar 8 anos de prisão para os dois acusados. O crime de lesão corporal, no entanto, em geral tem penalidades entre três meses e 1 ano. A deformidade do rapaz pode ser retirada através de processos estéticos. Do contrário, a punição variaria de dois até oito anos.

Muitos especialistas criticaram a decisão da promotora.

Publicidade

Um deles foi o advogado Ariel de Castro. Ele diz que isso é um retrocesso da justiça, mas que somando os três crimes, ao invés apenas da tortura, a pena pode se tornar maior. O advogado lembra que os acusados podem conseguir a absolvição em algumas das acusações e, nesses casos, a pena diminuiria muito.

Caso polêmico cria divisão nas redes sociais: vale à pena a justiça com as próprias mãos?

O caso causou grande repercussão nas redes sociais. Algumas pessoas concordaram que o menino merecia uma punição e até foram a favor do tatuador e de seu vizinho. No entanto, para outras, houve um grande exagero da parte dos homens que fizeram a tatuagem na testa do adolescente. "O fato desse menino ter tentado roubar, não dá o direito de fazerem essa covardia com ele, e quem nunca passou a mão numa balinha do caixa da padaria?, chegou a desabafar um internauta ao falar sobre o assunto que mexeu com todo o país.

Deixe o seu comentário. Ele é sempre importante e ajuda no diálogo de temas diversos.