Suzane Von Richthofen é uma das principais presas do #Brasil. A loira foi presa há alguns anos pela morte dos pais. Na ocasião, ela chegou a ser condenada a 39 anos de prisão, mas agora tenta uma nova chance. Como já cumpriu um terço da pena, Suzane tenta o regime semiaberto e pode trocar metade do tempo em que fica na cadeia por uma carreira em uma confecção de moda. Richthofen, muitos não sabem, mas é uma exímia costureira e já até conseguiu trabalho. Em entrevista ao G1, o proprietário da empresa que quer contratar Richthofen, Daniel Carneiro da Silva, diz que não entende o preconceito sobre o caso. De acordo com ele, a moça nunca fez nada contra ele e que todo mundo merece uma segunda chance.

Publicidade
Publicidade

O empresário tem o costume de fazer contratações envolvendo ex-presidiários.

'Não vejo pelo que ela fez', diz dono de confecção que ofereceu vaga de costureira para Suzane Richthofen

A empresa que pode contratar Richthofen fica na cidade de Angatuba, no interior de São Paulo. A confecção de moda é especializada em jeans e tem cerca de 70 costureiras, todas elas ganhando pouco mais de R$ 1 mil por mês. As mulheres têm uma jornada de trabalho dura, cerca de 44 horas por semana. Para quem não lembra, no passado, Suzane deu uma polêmica entrevista ao apresentador Augusto Liberato. Na ocasião, o loiro acabou dando algumas máquinas de costura para ela e Sandrão, sua antiga namorada na cadeia. Sandrão e Suzane não estão mais juntas. Ela agora está noiva de um rapaz, que teria feito o contato com o empresário de Angatuba.

Publicidade

Empresário que quer contratar Richthofen diz que nunca fechou as portas para ninguém

Segundo Daniel Carneiro, o possível novo patrão de Richthofen, ele nunca fechou as portas de seu comércio para ninguém que precisasse, não importando o que a pessoa fez antes de chegar ao local. Para ele, o que importa é o trabalho e se o funcionário está cumprindo com as regras da empresa. Assim como tudo na vida de Suzane, desde que ela mandou matar os próprio pais, o episódio já virou uma polêmica. Muita gente condena o empresário e até a Justiça, que ainda não deu uma decisão sobre a saída ou não da presidiária de Tremembé para trabalhar. O empresário garante que, caso a Justiça deixe, que será uma forma de Richthofen ser reabilitada. O contratante informa que a presa sabe costurar muito bem jeans e que espera uma vaga e a liberdade da Justiça para fazer a contratação. Suzane ganhará R$ 1.082 por 44 horas trabalhadas semanalmente, como os outros funcionários no mesmo cargo. #Crime