Condenado a 181 anos de prisão devido a abusos sexuais em suas pacientes, o ex-médico #Rober Abdelmassih conseguiu o direito de cumprir pena em casa, a chamada prisão domiciar.

Desde 2014, Abdelmassih cumpria pena no presídio do Tremembé e hoje teve a decisão da prisão domiciliar confirmada por seu advogado, o dr. José Luis de Oliveira Lima. O presídio do Tremembé fica a 147 km de São Paulo.

Ultimamente, Roger está internado para tratar de uma grave pneumonia em Taubaté, no Hospital São Lucas. De 2014 pra cá, o ex-médico foi interado diversas vezes por conta de problemas cardíacos.

Foi exatamente a doença a base da argumentação por parte do seu advogado em seu pedido de prisão domiciliar, iniciado no final do ano passado.

Publicidade
Publicidade

A lei prevê que os detentos sem condições de tratamento interno, podem cumprir pena em casa.

Relembre o caso

O médico Rober Abdelmassih era considerado um dos principais especialistas em reprodução assistida no Brasil. Ele chegou a ser chamado de ‘o médico das estrelas’ e era extremamente bem sucedido e muito procurado por conta de sua competência.

Tudo isso antes de ser acusado de #Abuso Sexual em 2006, inicialmente por uma ex-funcionária que disse à Promotoria ter sido beijada a força, pelo médico e na sequência por dezenas de pacientes do mesmo. As idades das pacientes variava de 30 a 40 anos (que é mais ou menos a época em que as mulheres que não conseguem engravidar naturalmente, procuram pela reprodução assistida).

O caso imediatamente ganhou imensa repercussão e as pacientes relatavam o abuso, quando estavam em entrevistas sozinhas, sem os maridos e sem a secretária do médico presente.

Publicidade

Algumas delas afirmam ter sido molestadas sexualmente enquanto sedadas.

Essas acusações se deram até 2010, onde várias testemunhas e vítimas foram ouvidas e o julgamento instaurado. Em novembro, deste mesmo ano, o médico foi condenado a 278 anos de prisão pro 48 casos de estupro e, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) o médico, apesar de condenado, segue livre.

No ano de 2011, ao tentar renovar o passaporte, a #Justiça finalmente determina a prisão do médico que permaneceu foragido e entre os 10 mais procurados do Brasil.

Em agosto de 2014, Roger é preso no Paraguai. De lá para cá, mais 36 casos de abuso foram prescritos por ter passado da data da validade de denúncia e, portanto, foram arquivados.

O que você acha de todo o caso envolvendo o ex-médico? Na sua opinião ele teve sorte, a justiça foi feita ou houve falha no sistema?

Saber sua opinião é muito importante para o crescimento de todos nós. É através do debate pacífico que se constrói um país melhor.